Boa tarde! Hoje é domingo, 07 de agosto de 2022

(11) 3104-4441

Banco do Brasil defende regra de transição em reforma tributária

Publicado em: 06/08/2021

Assim como os grandes bancos privados, o presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, acredita que a proposta da reforma tributária poderia ter uma regra de transição para que não afetasse imediatamente o balanço dos bancos, que são obrigados a rever créditos tributários e fazer impairments quando há mudanças de alíquotas de impostos.

O banco público também disse que avalia o impacto do fim do juros sobre capital próprio (JCP) proposto pela reforma, mas não considerou ainda se pode antecipar o pagamento de dividendos, como foi feito pela Petrobras.

“Consideramos a reforma necessária para o país, mas ela ainda deve sofrer alterações e existem assuntos que requerem mais aprofundamento, concordamos com alguns pontos levantados pelos bancos privados, como a questão do impairment, talvez o ideal seria uma regra de transição mais suave para não ter impacto imediato nos balanços dos bancos”, afirmou em coletiva de imprensa dos resultado.

Ribeiro citou estudos feitos pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que apontam que a proposta do jeito que está pode acabar tirando poder de alavancagem dos bancos, com impacto em torno de R$ 500 bilhões, o que avalia como negativo no momento em que a economia precisa de impulsionamento.

Em relação ao fim do JCP, o vice-presidente de gestão financeira e de relação com investidores, José Ricardo Fagonde Forni, afirmou que este ano já foi pago o máximo de JCP possível e que seguem com poltica de 40% de payout de pagamento de dividendos, mas seguem avaliando como ficará a proposta da reforma tributária para saber se será necessário fazer alguma mudança no segundo semestre.

Questionado se o banco poderia antecipar o pagamento de dividendos a exemplo do que anunciou ontem a Petrobras, Forni disse que a princípio isso não foi considerado e também não deu detalhes sobre possível recompras de ações, reiterando que a questão será avaliada ao longo do semestre.

Fonte: Monitor Mercado

Fale Conosco
Precisa de Assessoria Jurídica?
Olá, tudo bem? Como a Assessoria Jurídica pode ajudar você? Mande sua dúvida ou informação que necessita.