Boa tarde! Hoje é domingo, 07 de agosto de 2022

(11) 3104-4441

Chapa 3 – Previ para Associados vence Eleições Previ com mais de 55% dos votos

Publicado em: 01/05/2022

As Eleições Previ 2022 tiveram seu resultado divulgado no início da noite desta sexta-feira (29). A chapa 3 foi eleita com 54.423 votos (55,29% dos votos válidos) e, assim, preencherá cargos de representação dos participantes nas Diretorias de Administração e de Planejamento e nos Conselhos Deliberativo, Fiscal e Consultivos (Plano 1 e Previ Futuro). Os membros eleitos tomam posse no dia 1º de junho para um mandato de 4 anos.

Foram 108.221 votos, sendo mais da metade na Chapa 3, que teve o apoio da AGEBB e do movimento sindical; a Chapa 1 teve 17.728; a Chapa 2, 6.664; e a chapa 4, 20.334. Nulos foram 5.554 e em branco, 3.508. “Parabenizamos toda a diretoria eleita da Previ, destacando a importância da continuidade do trabalho responsável, competente e ético do grupo. Vamos manter nossa parceira de sucesso, visando sempre entregar o melhor resultado aos associados”, diz o presidente da AGEBB, Adriano Domingos.

O apoio da AGEBB foi amplamente elogiado por José Carlos Vasconcelos, membro titular do Conselho Consultivo do Plano  de Benefícios. “O apoio de uma associação de gerentes fala muito para mim. É uma demonstração de que a representatividade plural não tem número. Todos os atores são importantes. Nunca fui afiliado a partidos políticos, mas sou dependente de cada um colega na proteção do nosso patrimônio e luto por uma modelagem organizacional que eleva o nome dos funcionários do Banco do Brasil”, destacou.

Foram reeleitos Márcio de Souza, para a diretoria de Administração e Paula Goto, para a diretoria de Planejamento. “Agradeço a todos pela confiança e pelo carinho. Nosso compromisso é pela defesa integral dos direitos dos associados e da governança que conquistamos na Previ, mantendo-a longe de interesses do governo e do mercado”, afirmou Márcio Souza. Avaliou ter sido o expressivo resultado uma vitória dos associados porque foi fruto de um trabalho coletivo.

E acrescentou: “Vamos seguir trabalhando muito firme para o equilíbrio do Plano 1, com segurança, superávits e para melhorar o Previ Futuro; revisar a tabela de pontuação individual do participante, para implantar um novo regulamento para o resgate das contribuições patronais; e também para redução do prazo mínimo para pedir aposentadoria, de 15 para 10 anos de filiação, e lutar para transformar em lei a mudança do regime de tributação e garantir que os associados possam fazer a sua opção pela tabela progressiva, ou regressiva, somente no momento de sua aposentadoria”, detalhou.

Paula Goto, que foi gestora em várias agências do Banco do Brasil e é associada da AGEBB, agradeceu “a todo o corpo social que participou das eleições da Previ, que validou este importante processo democrático, conquistado pelos associados, pelas entidades representativas, que é o direito de eleger diretamente nossos representantes”. A diretora reeleita avaliou ter sido a vitória um voto de confiança e a validação do trabalho da atual gestão.

Foram ainda eleitos: para o Conselho Deliberativo, Sérgio Riede (titular) e Luciana Bagno (suplente); para o Conselho Fiscal, Getúlio Maciel (titular) e Wagner Lacerda (suplente); para o Conselho Consultivo do Plano 1, Guilherme Haeser e José Carlos Vasconcelos (titulares) e Francisco Santos Filho e Eleupício Barrreto (suplentes); para o Conselho Consultivo do Plano Previ Futuro, Carlos Eduardo B. Marques e André Luiz Esteves (titulares) e Elisa Figueiredo e Cleiton dos Santos Silva (suplentes).

Proteção contra ameaças

A Previ gere hoje cerca de R$ 230 bilhões dos seus mais de 200 mil associados. “O mercado financeiro não esconde o interesse em quebrar a exclusividade dos fundos de pensão fechados, para gerir esse montante. Recentemente denunciamos uma proposta de lei, formulada no gabinete do ministro da Economia Paulo Guedes, para entregar aos bancos privados esses recursos”, destacou o coordenador da CEBB, João Fukunaga.

Duas chapas foram apontadas como ameaçadoras à gestão da Previ, durante toda a corrida eleitoral. Uma delas contava com um candidato que atualmente ocupa cargo de confiança na Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União, órgão vinculado à Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, do Ministério da Economia. Já outra recebeu recursos da Blackrock Brasil, maior administradora de recursos de terceiros e fundos de pensão do mundo.

Fonte: AGEBB com Sindicato dos Bancários e Contraf-CUT

 

 

Fale Conosco
Precisa de Assessoria Jurídica?
Olá, tudo bem? Como a Assessoria Jurídica pode ajudar você? Mande sua dúvida ou informação que necessita.