Boa tarde! Hoje é quarta, 06 de julho de 2022

(11) 3104-4441

Dezenas de gerentes do BB devem ser descomissionados

Publicado em: 26/01/2017

O plano de reestruturação do BB, que incluiu o Plano Especial de Aposentadoria Incentivada (Peai) e o fechamento e transformação em postos de atendimento de mais de 700 agências em todo o país, foi mais uma iniciativa do BB de reduzir o quadro de funcionários a qualquer custo, como já havia manifestado publicamente a AGEBB no início de dezembro. O editorial da entidade divulgou também que “temos informações que vários funcionários têm recebido correspondências informando que ´agora já fazem parte dos elegíveis´, mesmo não cumprindo as exigências do plano original”.

Notícia publicada pela revista Época, em 19 de janeiro (clique aqui para lê-la na íntegra), trouxe a informação que o “banco afastou, na terça-feira (17), quatro gerentes executivos da Diretoria de Micro e Pequenas Empresas. A justificativa é que a produtividade deles, cujos salários giram em torno de R$ 35 mil, estava ´baixa´”. A reportagem termina com a seguinte afirmação: “Os afastamentos em gerências executivas do BB não deverão parar por aí”.

Para o presidente da AGEBB, Francisco Vianna de Oliveira Junior, realmente, nas próximas semanas, dezenas de gerentes de unidade e Genegs em todo o Brasil serão descomissionados ou rebaixados. A opinião do presidente é confirmada pela mensagem encaminhada por e-mail aos gerentes, no dia 24 de janeiro: “Os funcionários em excesso no grupamento de função GF3 ou superior terão prioridade até o fim do dia 26 de janeiro nas nomeações como gerente de Relacionamento Estilo. Para manifestar a intenção, os funcionários deverão concorrer nas dependências desejadas através do TAO Especial”. “Nas conversas que mantínhamos com executivos do BB até o momento, sempre recebíamos a garantia de que todos os gerentes seriam realocados”, afirma Francisco.

A associação acompanha permanentemente o andamento da reestruturação do quadro de funcionários e agências e sugere que os profissionais que porventura tenham sido descomissionados ou rebaixados de função comuniquem sua situação à AGEBB, para que a entidade possa auxiliá-los na busca de uma solução junto à diretoria da empresa. “Vamos fazer valer o direito da manutenção dos ganhos, sem qualquer redução, para os gerentes que há mais de 10 anos recebem comissão de função”, ressalta o presidente da entidade.

Reiteramos nossas afirmações. A classe gerencial apenas contará com o merecido respeito quando estiver unida e tiver voz junto aos gestores da empresa. O que presenciamos agora é um discurso totalmente desviado dos fatos que efetivamente estão ocorrendo. Superintendentes nomeiam amigos, acertando a vida dos analistas, enquanto o gerente que carrega a responsabilidade da gestão, seja da unidade ou carteira, e é cobrado insistentemente dezenas de vezes ao dia pelos mais diversos canais de comunicação disponíveis tem de procurar uma vaga em Estados distantes do seu domicílio, prejudicando também a alocação dos que lá trabalham.

Vamos ficar atentos, pois o plano de reestruturação não para por aqui. Junte-se à AGEBB, conte-nos como e o que podemos fazer para melhorar e fortalecer a classe gerencial do BB.

Fale Conosco
Precisa de Assessoria Jurídica?
Olá, tudo bem? Como a Assessoria Jurídica pode ajudar você? Mande sua dúvida ou informação que necessita.