Boa tarde! Hoje é sexta, 12 de agosto de 2022

(11) 3104-4441

Políticas de Investimentos da Previ para os próximos 7 anos são atualizadas

Publicado em: 28/01/2022

A cada ano, a Previ revisa as Políticas de Investimentos dos planos para um horizonte de sete anos, com as diretrizes que norteiam a aplicação dos recursos. O objetivo é deixar a Previ preparada para criar estratégias resilientes na gestão de ativos, com base em diversos cenários macroeconômicos.

Os documentos são elaborados pela Diretoria de Planejamento, aprovados pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Deliberativo, e executados pela Diretoria de Investimentos – um processo realizado em etapas, por diversas instâncias diferentes, para trazer mais segurança na gestão e fortalecer o modelo de governança.

No ciclo de 2022-2028, a estrutura criada na última revisão foi mantida, com a modularização das Políticas. Ou seja: os planos continuam detalhados em módulos, que trazem as especificidades de cada um deles, proporcionando estratégias mais ágeis, customizadas e aderentes. Você pode acessar a versão resumida das Políticas aqui no site, na seção Investimentos da Previ >> Políticas de Investimentos. A Política do Previ Família pode ser encontrada na seção nossos Planos >> Previ Família >> Conheça >> Regulamentos e Formulários.

Com o objetivo de melhor adequar as estratégias de investimentos dos planos, uma das inovações é a reestruturação e criação de novas carteiras gerenciais para renda fixa e para renda variável, que serão implementadas ao longo de 2022. As modificações nas Políticas de Investimentos também passam a permitir investimentos diretos em Brazilian Depositary Receipts (BDR), que são certificados de depósito emitidos e negociados no Brasil, que representam ações de empresas listadas em bolsa de valores de outros países.

Também foram feitas revisões nos benchmarks dos investimentos e nas métricas de risco que permitem maior flexibilidade na gestão dos investimentos.

Mais segurança para o Plano 1

No plano mais maduro da Previ, que tem cerca de 95% dos seus associados já em fase de recebimento de benefícios, foi mantida a estratégia de imunização dos ativos da carteira, seguindo a gestão orientada ao passivo, conhecida como Liability Driven Investment (LDI). Em um plano de benefício definido, essa estratégia proporciona mais segurança. É uma forma de preservar a reserva já formada, fruto das boas decisões tomadas nas últimas décadas, diminuindo gradativamente a alocação em renda variável.

Diante da conjuntura desafiadora em 2021, a estratégia deu bons resultados. Sem ela, o impacto da crise nos investimentos seria maior em quase R$ 15 bilhões. Desde 2018, já foram migrados cerca de R$ 52 bilhões em ações de mais de 30 companhias para títulos públicos de vencimento no longo prazo, que possuem a rentabilidade necessária para o cumprimento das obrigações previdenciárias da Previ.

Os limites máximos de macroalocação dos segmentos do Plano 1 para 2022 ficaram assim: Renda Fixa com 67,80%; Renda Variável com 39,57%; Estruturado com 2,72%; Imobiliário com 8,29%; Operações com Participantes com 4,43% e Investimentos no Exterior com 4,03%.

Flexibilidade para o Previ Futuro

No Previ Futuro, o destaque principal é o aumento do limite máximo de alocação em investimentos no exterior, que subiu de 3% para 8%. Como o Previ Futuro é um plano em fase de acumulação – os primeiros associados ingressaram em 1998 – a estratégia adotada é a de performance seeking, ou seja, a busca por desempenho.

Outra inovação importante é a criação de um novo perfil de investimentos, o Ciclo de Vida 2060, que possui características similares aos demais perfis Ciclo de Vida, porém permitindo exposição à renda variável entre 50 e 70% dos recursos aplicados e um período de acumulação mais longo. É mais uma opção para os associados do Previ Futuro, que já possuem outras sete opções de perfis para escolher. Três perfis Ciclo de Vida, que são escolhas baseadas na data-alvo para aposentadoria e outros quatro perfis baseados no apetite ao risco, com diferentes alocações em renda variável.

Os limites máximos de macroalocação dos segmentos do Previ Futuro para 2022 ficaram assim: Renda Fixa com 95%; Renda Variável com 70%; Investimento Estruturado com 5%; Investimento Imobiliário com 8%; Operações com Participantes com 15% e Investimentos no Exterior com 8%.
ASGI

Os aspectos ambientais, sociais, de governança e integridade (ASGI) continuam a fazer parte das Políticas de Investimentos. Desde a última revisão eles possuem um módulo específico, com o objetivo de fortalecer ainda mais a necessidade de investimento responsável.

Ao longo dos últimos anos esses temas estão sendo gradativamente incorporados aos documentos, com a utilização de metodologias de análise nos investimentos que utilizam as melhores práticas de governança corporativa e nos critérios ASGI.

Resiliência em conjunturas desafiadoras

Em momentos de crise, ter uma Política de Investimentos robusta faz ainda mais diferença. Conjunturas desafiadoras são inevitáveis quando pensamos em no longo prazo. Na Previ estamos construindo o futuro de 200 mil participantes e seus familiares. Por isso é tão importante buscar o equilíbrio nos resultados e ter investimentos resilientes.

Ter uma Política de Investimentos bem definida, aliada a uma boa gestão de riscos, é fundamental para trazer mais segurança aos planos e, consequentemente, aos associados. É isso que vai garantir a perenidade dos planos de benefícios que gerimos e nos fazer passar com tranquilidade por momentos de maior volatilidade, sempre com foco na missão da Previ: de pagar benefícios a todos nós, associados, de forma eficiente, segura e sustentável.

Fonte: Previ

Fale Conosco
Precisa de Assessoria Jurídica?
Olá, tudo bem? Como a Assessoria Jurídica pode ajudar você? Mande sua dúvida ou informação que necessita.