Boa tarde! Hoje é segunda, 27 de maio de 2024

(11) 3104-4441

BB Asset aponta caminhos para investir em ações em 2023; saiba quais

Publicado em: 15/12/2022

O cenário para renda variável no Brasil não é nada trivial e deve seguir assim em 2023. O próximo ano do mercado de capitais está mais para uma continuidade do segundo semestre deste ano, com uma demanda de consumo enfraquecida no varejo, juros elevados punindo os ativos de risco e empurrando o investidor para a renda fixa. O país continuaria no mesmo ritmo de 2022, o que abre ainda mais espaço para um setor que vem em alta desde o início do ano: o de commodities. Para a BB Asset (ex BB DTVM, gestora de recursos do Banco do Brasil), mesmo que o ambiente exija cautela, ainda há oportunidades interessantes (e bem familiares) na bolsa.

Em seminário virtual promovido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), a gestora apresentou suas projeções para a renda variável em 2023. Para Victor Penna, chefe de Equity Research no BB Investimentos, o cenário futuro com a política fiscal no eixo, reabertura da China – após os relaxamentos da política de controle da covid – e uma leve desaceleração global, especialmente nos Estados Unidos, é aquele em que o Brasil tem tudo para dar certo na bolsa.

Para a BB Asset, os espaços para quem quiser entrar ou seguir na renda variável estão ligados ao setor de commodities, dois subsegmentos do setor de energia e ao setor de bancos, que também podem trazer boas surpresas em 2023.

Commodities

“Um nome que gostamos muito é o da WEG (WEG3), que é uma multinacional com mais de 50% de receita vinda de fora e tem liderança na produção de equipamentos para transição energética, uma demanda que deve vir muito forte nos próximos anos”, conta Penna. Mas ele destaca também outros segmentos:

Óleo e gás: mesmo com a recente desaceleração dos preços do petróleo, os valores tendem a se manter em um patamar saudável, segundo a BB Asset, porque a oferta está bastante restrita, não há muita capacidade ociosa e, por outro lado, a volta da China ao mercado deve alavancar a demanda. “Temos que considerar a população voltando a andar de carro, de avião, além da retomada dessa circulação de forma mais estável no ano que vem”, avalia Penna. O nome destacado pela gestora no segmento é o da Petrobras (PETR34), pelos bons resultados operacionais e cenário vantajoso. “O principal risco para esse ativo é uma eventual mudança de política de preço ou de alocação fora do foco de negócio na próxima gestão”, avalia.

Mineração: um dos segmentos favoritos da BB Asset para 2023, principalmente com a Vale (VALE3) bem posicionada na produção de minério de ferro de alta qualidade e exposição em metais básicos. “O níquel, por exemplo, que é um produto derivado da companhia, vem sendo usado como componente de bateria de carros elétricos, então a demanda para os próximos anos é positiva”, diz.

Siderurgia: mais voltado ao mercado interno, neste segmento, a BB Asset destaca empresas com liderança de mercado e exposição ao mercado externo. É o caso, por exemplo, da Gerdau (GGBR3). “Os EUA vão lançar um pacote de infraestrutura no ano que vem, que vai demandar produção local, ou seja, as empresas com plantas na região acabam sendo beneficiadas.”

Agronegócios / soft commodities: o cenário favorável da agropecuária na América do Sul e desfavorável nos EUA impulsionaria resultados para as empresas frigoríficas e com produção. A gestora destaca a Minerva (BEEF3) neste caso. Já em grãos, “com Rússia e Ucrânia fora do jogo, o consumo no Brasil deve continuar alavancado, especialmente a demanda pelo milho, além da soja e do algodão, que já são muito fortes”.

Setor de energia

Em energia, os subsegmentos que se destacam para a BB Asset são os das geradoras e de transmissoras. “As geradoras estão sendo favorecidas por uma hidrologia mais favorável em 2022, o que é esperado também em 2023. Este cenário impulsiona margens”, conta Penna. Neste caso, ele destaca a AES Brasil.

Já entre as transmissoras, a projeção de crescimento vem dos leilões previstos para acontecer no próximo ano, “aqui já gostamos muito dos papéis da Alupar e não tanto de Taesa, que entendemos que as ações não estão baratas a ponto de valer a pena”, conclui.

O subsegmento de distribuição de energia fica como um destaque negativo, por navegar em um cenário mais punido pelo enfraquecimento da economia, que reduz o consumo e aumenta a inadimplência.

Bancos

A desaceleração econômica pode provocar redução do volume de crédito e impulsionar a inadimplência, mas, no caso dos bancos, esses pontos podem ser compensados pelo aumento dos juros sobre financiamento e empréstimos, o que colocaria esses ativos numa atmosfera mais neutra, segundo a BB Asset. Os papéis do setor, no caso, têm função mais defensiva na carteira, quer dizer, não entregam retorno tão alto, mas têm também menos volatilidade

Os destaques negativos

Setores com empresas muito alavancadas (com endividamento acima do patrimônio), suscetíveis à flutuação em razão do ambiente econômico interno, dependentes do ambiente externo para crescer e com o beta muito elevado, ou seja, cuja razão percentual entre a flutuação de preços do ativo em relação à variação do índice da bolsa é alta.

Neste caso, são especialmente punidas as ações das companhias de consumo. No espectro negativo das projeções para 2023, a BB Asset destaca os seguintes setores:

Varejo: a perspectiva negativa vem da falta de visibilidade sobre o início do corte de juros, fundamental para o setor, que é fortemente dependente de crédito. “Neste caso, se fosse para fazer um stock-picking (seleção de ações), gostamos mais de empresas com mais capacidade de repasse inflacionário, como a Raia Drogasil, que tem uma tese mais defensiva e está mais exposta a classes de renda mais elevadas”, diz Penna.

Construção civil e educação: são dois setores que não performam bem em cenário de juros elevados, um índice que acaba impactando tanto a decisão de compra de imóvel quanto a de investimento em educação formal.
Transporte e logística: setor também fortemente penalizado pelos juros, que, em um patamar mais alto como o atual, penaliza despesas financeiras e os novos investimentos, essenciais para o crescimento dessas empresas.

Fonte: Valor Investe

Fale Conosco
Precisa de Assessoria Jurídica?
Olá, tudo bem? Como a Assessoria Jurídica pode ajudar você? Mande sua dúvida ou informação que necessita.