BB e Agência Francesa de Desenvolvimento assinam um acordo de cooperação

Publicado em: 22/05/2022

O Banco do Brasil e a Agência de Desenvolvimento Francesa (AFD) anunciaram nesta sexta, 20, um acordo de empréstimo de € 100 milhões com objetivo de apoiar o envolvimento do BB com as NDCs brasileiras, sigla em inglês para Contribuição Nacionalmente Determinada. A participação na NDC envolve compromissos voluntários assumidos por cada país signatário do Acordo de Paris para colaborar com a meta global de redução de emissões de gases do efeito estufa (GEE).

Na prática, as contribuições do BB para o atingimento das NDCs se darão com a expansão da oferta de linhas de financiamento a projetos no setor de energia renovável, tecnologias já consagradas na redução de emissões de GEE.

Além disso, estão previstas parcerias que possam contribuir para o desenvolvimento sustentável a inclusão social no setor público brasileiro, no desenvolvimento de programas e de novas soluções financeiras de interesse do BB.

O acordo também contempla a Cooperação Técnica e Financeira de € 300 mil para auxiliar o Banco em atividades relacionadas aos riscos climáticos, além do desenvolvimento de ferramentas para avaliação das emissões de carbono.

Assinaram o memorando de entendimentos, durante o congresso Mercado Global de Carbono, no Rio, o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, além do diretor regional adjunto da AFD para o Brasil.

Fonte: Banco do Brasil

BB torna-se primeiro banco a oferecer iniciação de pagamentos com Pix

Publicado em: 14/04/2022

Em breve, os clientes do Banco do Brasil (BB) que comprarem um produto ou serviço poderão iniciar o pagamento no site ou no aplicativo da empresa privada e concluí-lo na conta corrente. A instituição financeira tornou-se o primeiro banco no país habilitado para oferecer o iniciador de transação de pagamentos (ITP) a seus clientes. Inicialmente, a novidade estará disponível para transferências via Pix.

Até agora, o consumidor que compra bens e serviços em sites precisa emitir boleto bancário, digitar os dados do cartão de crédito ou copiar o código do Pix e colá-lo no aplicativo do banco. Com o ITP, o processo será mais simples.

O novo recurso permite que o cliente comece o pagamento no site ou aplicativo da empresa vendedora do produto ou do serviço. Em seguida, será diretamente encaminhado ao ambiente digital do banco, sem a necessidade de fechar o site do comércio e abrir o aplicativo do banco, concluindo o pagamento após sua identificação e seu consentimento.

De acordo com o Banco do Brasil, o Pix foi escolhido para ser o primeiro meio de pagamento integrado ao ITP por causa da alta adesão. Atualmente, o sistema de pagamentos instantâneo, que funciona 24 horas, concentra 30% do total de transações bancárias no Brasil, ultrapassando as transações via DOC, TED e boleto bancário.

Para as empresas, o ITP traz ganhos de eficiência e reduz custos com a administração de serviços de pagamento. Para o cliente, o novo sistema torna mais rápido o processo de pagamento e reduz as desistências.

Em breve, o Banco do Brasil começará a oferecer o serviço às empresas. A tecnologia está sendo testada em forma de projeto-piloto.

A adesão do Pix à tecnologia de iniciação de pagamentos foi possível após o início da terceira fase do open banking, em 29 de outubro. O compartilhamento de informações sobre o Pix abre caminho para que as transferências, no futuro, sejam feitas fora dos aplicativos das instituições financeiras.

Segurança

Segundo o BB, o iniciador de transação de pagamentos representa uma tecnologia segura porque todo o processo é supervisionado pelo Banco Central. Somente instituições homologadas pela autarquia podem operar a tecnologia. Os pagamentos são concluídos no banco onde o cliente tem conta.

Outras possibilidades de utilização do ITP estão em estudo. De acordo com o Banco do Brasil, em breve será possível usar o serviço para contratar um serviço, pagar uma obrigação ou mesmo pôr dinheiro na conta.

Fonte: Agência Brasil

Marcelo Rebelo Lopes é o novo economista-chefe do Banco do Brasil

Publicado em: 09/12/2021

Marcelo Rebelo Lopes é o novo economista-chefe do Banco do Brasil, informou nesta quarta-feira a instituição. Ele sucede a Ronaldo Távora, que ocupava o cargo desde 2018.

Lopes é formado em comunicação social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e em economia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Além disso, é mestre em economia pelo Ibmec-RJ, e especializado em mercado de capital pelo New York Institute of Finance.

Fonte: IstoÉ Dinheiro