Banco do Brasil cai até 5% após desistência de venda do BB Américas

Publicado em: 05/06/2022

O Banco do Brasil desistiu de vender sua filial que atua nos Estados Unidos, o BB Americas. A informação foi revelada na segunda-feira (30 de maio) pelo colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim. Diante disso, as ações do BB tiveram perdas mais fortes do que a de seus pares.

Segundo o colunista, 12 mil clientes da divisão deverão ser incorporados, à medida em que a divisão for encorpada. O BB Americas é uma instituição financeira que possui sede na Flórida. Ela foi constituída em 2012, como sucessora do EuroBank.

Em outubro de 2020, conforme apurado pelo Estadão/Broadcast, o Banco do Brasil já avaliava desistir de vender sua filial nos EUA. No entendimento da gestão do banco na ocasião, era de que seria baixo o preço que seria obtido com o desinvestimento frente à importância da unidade. Isso porque a filial funciona como suporte aos clientes brasileiros no exterior.

A venda integrava a lista de desinvestimentos do BB — que tinha sob orientação o ministro da Economia, Paulo Guedes. Apesar disso, a análise do mercado já previa não seria uma tarefa fácil a venda. O motivo é que os bancos brasileiros, potenciais compradores, já contam com presença na Flórida.

Segundo um analista de um banco estrangeiro, o BB Américas é bastante pequeno. Essa fonte afirmou que a venda “é mais uma matéria de cunho político… porque em termos de impacto econômico é muito pequeno”.

Ao mesmo passo que avaliava cancelar a venda da filial, a gestão, na época, considerava servir melhor os clientes que possuem contas por lá. Entre essas pessoas, estão ministros, embaixadores e expatriados brasileiros.

O intuito, que estava em estudo, era otimizar a plataforma de autoatendimento do banco, investindo em tecnologia.

Fonte: Portal FDR

 

BB vai vender banco comprado por Bendine de ex-ministro angolano

Publicado em: 20/02/2019

O Antagonista apurou que Rubem Novaes, presidente do Banco do Brasil, mandou incluir no plano de desinvestimento o BB Americas, ex-Eurobank.

Antes de passar adiante, Novaes deveria pedir uma auditoria.

Em 2016, O Antagonista alertou sobre o negócio, capitaneado por Aldemir Bendine e Allan Toledo – ambos presos.

O Eurobank tinha entre seus principais acionistas José Pedro de Morais Jr, ex-ministro das Finanças angolano citado na CPI dos Correios por receber remessas da offshore Tradelink, usada por Marcos Valério.

Fonte: O Antagonista

BB Americas deve ter novo comando em breve

Publicado em: 01/02/2018

O BB Americas, subsidiária do Banco do Brasil nos Estados Unidos, deve trocar de comando em breve. O Conselho Diretor da instituição indicou o nome de Aguinaldo Barbieri, até então gerente executivo de renda fixa local e internacional do banco, para assumir o posto. Se aprovado pelos reguladores americanos, substituirá Cassio Segura, que vai deixar o BB uma vez que está se aposentando.

Barbieri assumirá a presidência do BB Americas em um momento que o Banco do Brasil tem outro apetite em termos de ambição internacional. Seus olhos, agora, estão voltados para a operação brasileira, no intuito de melhorar o capital e encostar nos pares privados em termos de retorno, dos quais se distanciou após uma estratégia focada em crédito e que cobrou seu preço.

Com cinco agências, o BB Americas teve origem no EuroBank, adquirido pelo BB em 2012. No ano seguinte, chegou a negociar a compra do City National Bank of Florida, unidade norte-americana do espanhol Bankia, que acabou indo para as mãos do chileno BCI.

Fonte: Estadão