BB Seguridade: Brasilprev faz parceria com Banco Modal para venda de previdência

Publicado em: 05/06/2022

A BB Seguridade (BBSE3) informou que a Brasilprev, empresa de previdência privada do grupo, fechou uma parceria para vender produtos através do Banco Modal (MODL11), recentemente adquirido pela XP(XPBR31). A Coluna do Broadcast antecipou em abril que a maior gestora de previdência do País, controlada pela BB Seguros e pela Principal, buscava novos parceiros no setor bancário.

“A parceria abrange a comercialização de planos de previdência privada geridos pela Brasilprev por meio da plataforma do Modal, aumentando o alcance de vendas e agregando novos clientes ao Conglomerado BB Seguridade”, afirma a BB Seguridade, em comunicado ao mercado.

Em março, a Brasilprev tinha cerca de R$ 320 bilhões sob gestão e 2,4 milhões de clientes. A companhia tem buscado diversificar tanto a oferta de produtos, com a entrada de novos fundos em parceria com gestoras como Moat e JGP, quanto seus canais de distribuição.

A BB Seguridade ambiciona aumentar a importância dos novos canais para solidificar a liderança que tem em diversos segmentos – a previdência e os seguros rurais entre eles. O balcão do Banco do Brasil deve continuar sendo o principal canal de distribuição de produtos das empresas de holding, mas a intenção é ganhar mercado também através do chamado mar aberto.

O Modal foi adquirido pela XP em janeiro deste ano, em transação cujo fechamento ainda depende do cumprimento de condições precedentes.

Fonte: Infomoney

Brasilprev, do Banco do Brasil, lança curso virtual sobre previdência privada

Publicado em: 01/05/2022

Desde a semana passada, os interessados em aprender sobre previdência privada têm acesso a uma plataforma de ensino 100% gratuita. A Brasilprev, braço de previdência complementar aberta do Banco do Brasil (BBAS3), lançou a plataforma FuturEd, que fornece cursos sobre o tema em vídeos e em podcast.

O primeiro curso em vídeo, sobre previdência privada e planejamento financeiro, é ministrado pelo professor Carlos Heitor Campani, do Instituto Coppead de Administração, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Organizado em três módulos, o curso tem dezenove aulas, que somam 159 minutos de duração.

Entre as principais lições dos três módulos estão as diferenças de investimentos nos planos PGBL e VGBL, como eles são tributados e os cuidados necessários na hora de fazer o Imposto de Renda.

O aluno também recebe orientações para começar hoje mesmo a planejar suas finanças de um jeito simples e descomplicado, com aulas sobre os principais tipos de investimento em renda fixa e em renda variável.

Em relação ao podcast, o primeiro episódio tem 50 minutos. Também narrado pelo professor Carlos Heitor Campani, ele apresenta um resumo do curso em vídeo. Segundo a Brasilprev, a ideia é que o podcast estimule o interesse do aluno sobre previdência privada, de forma a atraí-lo para esses cursos em vídeo.

Com 28 anos de atuação, a Brasilprev tem como acionistas a BB Seguros, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil, e a Principal Financial Group, instituição financeira norte-americana.

Líder do mercado de previdência privada aberta (em que qualquer um pode contribuir sem estar vinculado a um fundo de pensão), a companhia tem mais de R$ 322 bilhões em ativos sob gestão e uma carteira de 2,5 milhões de clientes.

Fonte: Space Money

 

Campanha da Brasilprev e do BB supera 100 mil planos contratados em outubro

Publicado em: 19/11/2021

Consolidando o seu propósito de transformar o jeito que o brasileiro prepara o seu futuro, a Brasilprev, empresa líder de mercado e especialista em previdência privada, registrou, apenas em outubro, 109 mil novos planos para o seu produto Júnior, destinado à construção de reservas financeiras para jovens entre 0 e 21 anos. O resultado foi viabilizado através de uma forte campanha de marketing, que teve como protagonistas a força de vendas do Banco do Brasil e a skatista Rayssa Leal, campeã mundial e medalhista olímpica em Tóquio.

Dentre os responsáveis financeiros que mais investiram no período, 60% foram pais ou mães, que colocaram seus filhos como beneficiários imediatos dos novos planos. Já os avós representaram 18,7% das contratações do Brasilprev Júnior, seguidos por tios e tias, com 10,4%.

“Essa foi uma campanha muito especial para a Brasilprev, não apenas por contarmos com a Rayssa como o novo rosto do Brasilprev Júnior, mas por todo o engajamento da rede de distribuição o Banco do Brasil, que alcançou este número fantástico. Foi um trabalho feito a muitas mãos, que tem um propósito de contribuir para que as novas gerações contem com um futuro financeiro cheio de oportunidades e possibilidades”, destaca Ângela de Assis, presidente da Brasilprev.

Pessoa sentada sorrindo Descrição gerada automaticamente

O Brasilprev Júnior tem como propósito ajudar os pais, tios e avós, a iniciarem o planejamento financeiro para apoiar as crianças e jovens a concretizarem projetos na fase adulta, seja um curso de graduação, um intercâmbio ou proporcionar tranquilidade para seguir uma carreira no esporte.

Sobre a Brasilprev

Com 28 anos de atuação, a Brasilprev Seguros e Previdência S.A tem como acionistas a BB Seguros, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil, e a Principal, uma das principais instituições financeiras dos Estados Unidos. Líder do setor, a companhia conta com mais de R$ 316 bilhões em ativos sob gestão e uma carteira de 2,5 milhões de clientes. Especialista no negócio de previdência privada, com produtos acessíveis e serviços diferenciados, a Brasilprev conta com a rede de agências do Banco do Brasil como seu principal canal de distribuição.

Fonte: Portal Segs

 

BB Seguridade fará aumento de capital de R$ 600 mi na Brasilprev por alta da inflação

Publicado em: 24/06/2021

A BB Seguridade informou nesta terça-feira que seu conselho de administração aprovou um reforço de capital de até 600 milhões de reais na Brasilprev, que concentra os negócios de previdência complementar aberta.

“Considerando a manutenção da participação acionária de 74,995%, caberá à BB Seguros, subsidiária integral da BB Seguridade que detém o investimento direto na Brasilprev, subscrever e integralizar um valor de até 449,97 milhões do referido aumento”, afirma a BB Seguridade no fato relevante.

A empresa explicou que, embora não prevendo insuficiência de capital, por prudência os sócios BB Seguros e Principal Financial Group optaram pelo reforço, “em virtude da volatilidade do cenário macroeconômico e do aumento do IGP-M, que acumula alta de 14,4% no ano”.

Por isso, o conselho aprovou a distribuição de 1,04 bilhão de reais aos acionistas em dividendos, que serão pagos em data a ser anunciada após a divulgação dos resultados do segundo trimestre, prevista para 2 de agosto.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Brasilprev: previdência privada do BB atinge R$ 300 bi em ativos

Publicado em: 20/08/2020

A Brasilprev, braço de previdência privada do Banco do Brasil, atingiu em julho 300 bilhões de reais sob gestão, refletindo a recuperação acentuada dos ativos nos últimos meses, enquanto clientes mantiveram os recursos aplicados em meio à crise provocada pela pandemia da Covid-19.

A Brasilprev, que se apresenta como líder do setor no país, com cerca de 30% de participação de mercado, informou nesta quarta-feira que os ativos totais sob sua administração cresceram 8% em relação a 12 meses antes.

Segundo o presidente da Brasilprev, Marcio Hamilton, o resultado refletiu em parte o bem sucedido esforço para explicar aos participantes dos planos de previdência que a perda só se realizaria com a saída das posições.

“Em meados de maio, com melhores expectativas do cenário, conseguimos acompanhar esse desenvolvimento e o horizonte de 300 bilhões de reais em ativos, que estava previsto para setembro, foi antecipado”, disse Hamilton em nota. (Com Reuters)

Fonte: Gazeta Brasil

Com 2,1 milhões de clientes, Brasilprev quer dobrar base de plano popular até 2020

Publicado em: 10/07/2019

A Brasilprev, braço de previdência privada da BB Seguridade, prevê dobrar a base de seu plano para o público de baixa renda até o fim do ano para enfrentar a crescente concorrência no setor. Criado no fim do ano passado, o Brasilprev Fácil tem atualmente cerca de 65 mil clientes. A meta é chegar a 130 mil até dezembro, disse o presidente da Brasilprev, Walter Malieni.

A contribuição mensal média para esses planos é de R$ 250. A ofensiva acontece em meio à tramitação da proposta de reforma da Previdência no país, o que pode multiplicar o mercado complementar aberto, hoje com ativos de cerca de R$ 870 bilhões. “Embora a economia do país ainda não esteja ajudando, há um grande e crescente público potencial que ainda não está sendo atendido”, diz Malieni.

Desde sua criação há 26 anos, a Brasilprev tem se concentrado no público de mais alta renda, como funcionários públicos e demais clientes do Banco do Brasil e nos planos corporativos. Líder do mercado, com 2,1 milhões de clientes e ativos de cerca de R$ 270 bilhões, a companhia tem sido um dos principais alvos da concorrência em várias frentes. Uma delas é a das chamadas insurtechs, plataformas de serviços de seguros e de previdência.

Segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), o número de startups com ênfase nesse mercado no país passou de 70 para 210 nos últimos três anos. Quase sempre em parceria com grandes seguradoras, essas plataformas frequentemente oferecem produtos com perfil mais popular.

A própria BB Seguridade criou há dois anos sua corretora de seguros digital, a Ciclic, que também vende previdência. A própria Brasilprev acaba de criar um laboratório digital, iniciativa que deve aprofundar parcerias com fintechs.

O cenário de maior concorrência tem sido acirrado pelo crescente uso da portabilidade, a transferência do plano de previdência entre instituições financeiras, dado que o ambiente de juros mais baixos têm elevado o apelo por produtos que ofereçam rentabilidades maiores.

Segundo dados do mercado, o volume de recursos envolvidos em portabilidade nos planos de previdência complementar aberta em 2018 até novembro atingiu R$ 21,9 bilhões, volume 25% maior do que um ano antes.

Para Malieni, esse movimento reflete em parte o apelo para interesses de curto prazo, o que pode gerar problemas, dado que questões mais complexas do setor, como os mecanismos para manter a solidez dos ativos durante a vida dos planos, em geral são minimizadas. “Há essa exploração de uma cultura bastante imediatista”, diz o executivo, contando que a discussão sobre regras mais estritas sobre portabilidade está sendo discutido com a Superintendência de Seguros Privados (Susep), que regula o setor.

Internamente, porém, a Brasilprev vem ampliando a prateleira de fundos nos quais são aplicados os recursos dos planos, dando ênfase a produtos que ofereçam rentabilidades maiores. Segundo Malieni, o objetivo é dar opções para que atuais clientes que queiram buscar rentabilidades superiores façam isso sem terem que buscar a portabilidade. “Neste ano até maio, já fizemos um volume de realocação de ativos maior do que o que havíamos feito em todo o ano passado”, afirma o executivo.

Fonte: Forbes

Base ativa da Brasilprev aumenta em 30 mil clientes e chega a 2 milhões

Publicado em: 17/04/2019

A Brasilprev atingiu a marca de 2 milhões de clientes e segue líder em previdência privada. A partir da análise das vendas novas, entre janeiro de 2018 e março de 2019, a companhia adicionou mais de 30 mil novos clientes à sua base ativa.

“A Brasilprev tem intensificado o seu trabalho em prol da democratização da previdência com o lançamento de novos produtos e serviços, e busca sempre oferecer uma consultoria diferenciada para a construção de uma reserva financeira para o futuro. Esta marca é um incentivo a mais no desafio diário de disseminar a cultura previdenciária no País”, comenta Walter Malieni, presidente da companhia.

Com 25 anos de atuação, a Brasilprev Seguros e Previdência em como acionistas a BB Seguros, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil, e a norte-americana Principal.Líder do setor, a companhia encerrou novembro de 2018 com mais de R$ 250 bilhões em ativos sob gestão. A Brasilprev conta com a rede de agências do Banco do Brasil como seu principal canal de distribuição de planos.

Fonte: Jornal DCI

Walter Malieni é o novo diretor-presidente da Brasilprev

Publicado em: 23/01/2019

Walter Malieni assume a presidência da Brasilprev no próximo dia 21. Ele exercia a função de vice-presidente de Negócios Atacado do Banco do Brasil, área responsável pela gestão da rede de Comércio Exterior, gestão dos mercados Corporate, Private, de soluções empresariais e do Mercado de Capitais. Walter substitui Marco Barros, que estava na liderança da companhia desde o início de 2018.

Walter-Malieni-da-Brasilprev

Walter tem 25 anos de experiência no mercado financeiro, 10 deles em posição estatutária, sendo seis como vice-presidente. Além da mais recente, na área de Negócios Atacado, atuou como vice-presidente de Distribuição de Varejo e Gestão de Pessoas, vice-presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos e diretor Comercial Estatutário da Cia. de Seguros Aliança do Brasil.

Em sua carreira também atuou no conselho de importantes empresas, como a BRF, a Eletrobrás, a Kepler Weber S.A, a Neoenergia e a Previ.

Fonte: Revista Apólice

Lucro da Brasilprev aumentou 8,1% em 2017

Publicado em: 02/03/2018

A Brasilprev, empresa especializada em previdência privada do Banco do Brasil (BB), registrou aumento de 8,1%, para R$ 1,09 bilhão, no lucro líquido ajustado – que exclui resultados extraordinários – em 2017, na comparação com o ano anterior.

De acordo com o diretor de planejamento e controle da empresa, Nelson Katz, o resultado foi puxado pelos ativos sob gestão, os quais subiram 18,7%, para R$ 236,4 bilhões, face aos R$ 199,1 bilhões de dezembro de 2016. Este desempenho manteve a Brasilprev, conforme a empresa, na liderança do setor, com 30,5% de market share em ativos.

Nelson Katz comenta que a companhia também manteve as lideranças em arrecadação total e captação líquida, com 34,1% e 33,5% de participação de mercado, respectivamente.

“No exercício, lançamos fundos com novas estratégias de investimento e intensificamos nossos serviços com foco em soluções digitais. Esse novo cenário econômico do País traz mais desafios e precisamos de novos produtos. Em setembro de 2017, lançamos um fundo de renda fixa com duração mais longa (2025, 2035), por exemplo”, elucidou o executivo ao DCI.

Previdência Social

O diretor comentou que a discussão ao longo de 2017 sobre a reforma da Previdência Social não favoreceu diretamente o lucro da Brasilprev no ano passado, mas fez com que a população se conscientizasse sobre a importância de poupar a fim de garantir um futuro de qualidade, o que deve favorecer cada vez mais o mercado a qual a empresa faz parte.

Desta forma, e com uma retomada da atividade econômica brasileira, a Brasilprev quer capacitar seus funcionários, tanto que operam no ambiente físico, como no digital, para atender esse público. “O fato de estarmos ao lado do BB [atuando nas agências] nos permite estar mais próximo desse cliente [em potencial]. A gestão presencial é importante, assim como a digital, como operar com aplicativo”, diz.

“A companhia segue no propósito de disseminar para a sociedade conteúdos de formação de cultura previdenciária, consultoria adequada em diferentes canais para seus clientes, além de produtos com maior diversificação, em linha com a dinâmica atual da economia do Brasil”, conclui.

Conforme recente reportagem divulgada pelo DCI , o segmento de previdência complementar protege menos de 10% da população brasileira. Cerca de 19,7 milhões de pessoas são relacionadas com planos de previdência privada, sendo 13,4 milhões no sistema aberto (titulares e crianças), e 7,3 milhões no fechado (contribuintes ativos, assistidos e dependentes).

Fonte: Jornal DCI

PREVI abre processo seletivo para Consultor Jurídico Adjunto e Advogado I

Publicado em: 04/10/2017

Interessados devem inscrever-se para as vagas na Gerência Jurídica pelo SisBB, até 10 de outubro.

Serão qualificados até três candidatos para o preenchimento de uma vaga imediata de Consultor Jurídico Adjunto e até sete candidatos para o preenchimento imediato de 3 vagas o cargo de Advogado I na Gerência Jurídica (Asjur), vinculada à Presidência. Os requisitos obrigatórios e os procedimentos da seleção devem ser consultados no Documento de Divulgação.

As vagas são para a sede da entidade, localizada no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Conheça a estrutura da PREVI.

Inscrições

Os interessados devem inscrever-se das 9h do dia 04/10 até às 18h do dia 10/10 pelo SisBB: aplicativo Pessoal, opção 43 – TAO, Seleções e Programas > 37 – TAO – Conglomerado BB > 1.TAO – Oportunidades Inscrição > 900 – PREVI > Oportunidade “CCO17057 PREVI – CONSULTOR JURIDICO ADJUNTO” ou Oportunidade ” CCO17059 PREVI – ADVOGADO I”.

O processo seletivo será dividido em duas etapas: avaliação curricular, de acordo com a pontuação existente no TAO, e avaliação técnico-comportamental, composta pelas atividades: Inventário Profissional, Avaliação Técnica e Comportamental.

Funcionários que não estiverem nas situações “100 – Força de trabalho real” e “205 – QS Disponibilidade” devem requerer a inscrição no TAO à Gepes Regional de sua jurisdição. A solicitação deve ser realizada até o penúltimo dia de inscrição (09/10) conforme previsto na IN 371.1, item 3.7.1. Funcionários em licença interesse não podem se inscrever.

Pró-equidade de gênero

Serão acrescidas vagas exclusivamente ao público feminino, na quantidade necessária para garantir que exista na segunda etapa (avaliação técnica) o mesmo percentual de candidatas inscritas na avaliação curricular. Esta é uma ação de estímulo à equidade de gênero desenvolvida pela PREVI, no âmbito do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça do Governo Federal.

Vantagens de trabalhar na PREVI

A PREVI investe na capacitação do corpo funcional por meio de seu Programa de Desenvolvimento e Sucessão, além de contar com ações de qualidade de vida e de aprimoramento profissional.
Convênio de Cessão

De acordo com o convênio de cessão firmado entre PREVI e BB, os funcionários têm assegurados todas as vantagens da carreira administrativa do BB e resguardadas as demais vantagens decorrentes de acordos ou dissídios coletivos do Banco.

O funcionário oriundo de bancos incorporados qualificado no processo seletivo e convocado para posse na PREVI, manterá os benefícios vinculados à instituição de origem.

A jornada de trabalho na PREVI é de oito horas e durante a cessão o funcionário passa a fazer parte do Quadro Suplementar do Banco, podendo retornar ao BB a qualquer momento por interesse da PREVI, do BB, ou do próprio funcionário.

Fonte: PreviÉ recomendada a leitura atenta do Documento de Divulgação e dos anexos referentes a cada cargo. Em caso de dúvida, envie e-mail para processoseletivo@previ.com.br.

Brasilprev lança novas estratégias de investimentos em previdência

Publicado em:

A nova realidade macroeconômica, com a queda da taxa Selic, implica em um cenário de investimento que demanda maior diversificação. Pautada por esse contexto e pelas oportunidades trazidas pela resolução CMN nº 4.444, a Brasilprev lançou, no dia 20 de setembro, novos fundos com características bastante diferenciadas e foco na diversificação de ativos.

RENDA FIXA

A primeira inovação são os fundos FIX Estratégia 2025 e Fix Estratégia 2035, que passam a compor as opções de renda fixa oferecidas pela Brasilprev. Com um conceito inédito em renda fixa, eles adequam de maneira dinâmica a alocação dos ativos do fundo visando aproveitar as melhores oportunidades do cenário econômico, sempre tendo em vista a data-alvo. Assim, quanto mais distante, maior será a alocação em renda fixa de maior prazo e, consequentemente, expectativa de retorno mais elevada. Por outro lado, à medida que se aproxima da data-alvo, o fundo tem alocação focada em títulos de menor prazo, com objetivo de proteção da reserva. Compondo essas estratégias, além de títulos públicos de todos os prazos e características, o mandato prevê alocação em títulos privados e permite alocar até 10% em ativos no exterior.

MULTIMERCADO

Em multimercado, os destaques são os fundos Dinâmico e Multiestratégia. Nestes fundos, o foco será a busca de resultados por meio da alocação estratégica em ativos de renda fixa de curto, médio e longo prazo (índice de preços e prefixados), renda variável, investimento no exterior e moedas, dentre outros. O Dinâmico destina até 20% para renda variável no Brasil, introduz alocações no exterior por meio de estratégias da Principal Global Investors (PGI) e também poderá operar moedas. Já o Multiestratégia destina até 49% para renda variável e, além do investimento no exterior por meio da PGI e moedas, investirá em estratégias diferenciadas de multimercado geridas pela BB DTVM.

Essas novas opções trazem um campo enorme de possibilidades, tanto para aproveitar ganhos com variações nos preços das moedas como para ter acesso a uma gama muito maior de ativos. A título de exemplo, na bolsa nacional é possível acessar menos de uma centena de empresas, já no exterior este número passa de milhares.

“Um veículo de previdência precisa ter um balanceamento que combine diferentes estratégias para potencializar os ganhos dos investimentos. Por isso, buscamos montar um portfolio diferenciado para que o cliente tenha acesso às melhores oportunidades tanto no Brasil quanto no exterior. O olhar permanece para ganhos em períodos maiores, mas sem perder as oportunidades de curto prazo”, explica Paulo Valle, presidente da Brasilprev.

MULTIFUNDOS

Para potencializar o leque de opções de investimentos disponíveis, o cliente Brasilprev conta com o conceito de Multifundos, que permite que ele faça, por meio de um único plano, alocações em diferentes fundos. Além de combiná-los de acordo com seu perfil e poder compor uma carteira diversificada, não há custos para realocar o capital entre as opções disponíveis. Por exemplo: o cliente pode iniciar sua carteira com 30% dos recursos no FIX Estratégia 2025, 30% no Multimercado Dinâmico e 40% no Multimercado Multiestratégia, mas pode mudar isso a qualquer tempo.

“Nessa estrutura, contando com a consultoria especializada do Banco do Brasil e da Brasilprev, é possível configurar em único plano um ‘combo de fundos’. Isso permite ajustar a melhor combinação entre o perfil do cliente e os fundos mais adequados para a sua previdência de acordo com os diferentes momentos de vida (suitability).”, finaliza Paulo Valle.

Sobre a Principal Global Investors (PGI)

A Principal Global Investors (PGI) é uma empresa de gestão diversificada de ativos, membro da Principal Financial Group®, com expertise em renda variável, renda fixa, ativos imobiliários e especializada em serviços de assessoria aos clientes. A PGI gere mais de U$D 420 bilhões, principalmente em planos de previdência e outros clientes institucionais.

Sobre a BB DTVM

A BB Gestão de Recursos – Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. (BB DTVM) é a responsável pela gestão dos ativos da Brasilprev. Reconhecida por sua especialidade na administração de recursos de terceiros e dos fundos de investimento dos clientes do Banco do Brasil, a empresa é líder da indústria nacional de fundos de investimentos e carteiras geridas segundo o ranking da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) e encerrou julho de 2017 com patrimônio líquido total de R$ 820,8 bilhões e 22,89% de participação de mercado.

Sobre a Brasilprev

Com 24 anos de atuação, a Brasilprev Seguros e Previdência S.A tem como acionistas a BB Seguridade Participações, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil, um dos maiores bancos do país, e o Principal Financial Group, uma das principais instituições financeiras dos Estados Unidos. A companhia é uma das maiores empresas de previdência complementar aberta no Brasil, com R$ 217 bilhões em ativos sob gestão e uma carteira de mais de 1,98 milhão de clientes.

Especializada no setor, com produtos acessíveis e serviços diferenciados, é líder em captação líquida de todo o segmento de previdência privada aberta, com 35,6% de participação. No fechamento do primeiro semestre de 2017 obteve lucro líquido ajustado de R$ 508,6 milhões.

Sua estratégia de vendas é focada em seu principal canal de comercialização: a rede de agências do Banco do Brasil.

Fonte: Segs

Pais contribuem com R$ 234 por mês em planos de previdência para menores na Brasilprev

Publicado em: 17/08/2017

A Brasilprev, especialista em previdência privada, fez um levantamento, a partir da base de papais responsáveis financeiros pelo produto Brasilprev Júnior (voltado a crianças e adolescentes). Realizado com dados de junho de 2017, o estudo apontou que o valor médio de contribuição deste público é de R$ 234. A pesquisa também revelou que, em média, os pais possuem 48 anos de idade e que 38% dos filhos beneficiados pelos planos Brasilprev Junior têm entre 7 e 14 anos (ver gráfico).

Na análise foi apontado que a maioria dos clientes desse produto está na Região Sudeste (45%), seguida pela Sul e Nordeste com praticamente o mesmo percentual (21% e 20%, respectivamente), Centro-Oeste (10%) e Norte (5%).

“O produto Brasilprev Júnior foi lançado pioneiramente há 20 anos e, hoje, representa 31% do total de planos da Brasilprev. É cada vez mais tido pelos adultos como um meio de viabilizar projetos educacionais para crianças e adolescentes, que vão desde um curso profissionalizante e a primeira faculdade, até uma pós-graduação e um intercâmbio”, comenta a superintendente de Gestão de Clientes da Brasilprev, Soraia Fidalgo.

Sobre a Brasilprev

Com 24 anos de atuação, a Brasilprev Seguros e Previdência S.A tem como acionistas a BB Seguridade Participações, braço de seguros, capitalização e previdência privada do Banco do Brasil, um dos maiores bancos do país, e o Principal Financial Group, uma das principais instituições financeiras dos Estados Unidos. A companhia é uma das maiores empresas de previdência complementar aberta no Brasil, com R$ 210 bilhões em ativos sob gestão e uma carteira de mais de 1,98 milhão de clientes.

Especializada no setor, com produtos acessíveis e serviços diferenciados, é líder em captação líquida de todo o segmento de previdência privada aberta, com 37,4% de participação. No fechamento de 2016 obteve lucro líquido ajustado de R$ 1 bilhão.

Sua estratégia de vendas é focada em seu principal canal de comercialização: a rede de agências do Banco do Brasil.

Fonte: Portal Segs