Previ: aprimoramento contínuo para a Seleção de Conselheiros 2022

Publicado em: 30/07/2021

A Previ está em constante aprimoramento do seu processo de seleção e indicação de candidatos aos conselhos de administração e fiscal das empresas em que investe. Por isso, a Entidade aprimora constantemente o processo, em linha com os desafios e o aumento do grau de exigência sobre a performance desses profissionais.

O currículo da Seleção de Conselheiros prevê pontuação para a produção e a aquisição de conhecimento contínuo e para certificações profissionais de reconhecimento no mercado, o que estimula a busca por atualizações constantes.

A produção e a aquisição de conhecimento devem ter ocorrido nos últimos dois anos e tratar de tema relacionado a questões ASGI. São aceitas publicações de livros como autor ou organizador, artigos em livro ou revista e também a atuação como palestrante em conferência ou congresso de âmbito nacional ou internacional.

Para que a pontuação seja atribuída às certificações, serão considerados válidos os certificados emitidos dentro do prazo de validade determinado por cada entidade certificadora. Confira abaixo as certificações que serão aceitas no processo de Seleção de Conselheiros 2022, com a respectiva alternativa que deverá ser registrada no currículo:

As informações curriculares necessitam ser comprovadas pelos candidatos. A relação de documentos aceitos em cada item está no edital.

Lembre-se: o cadastramento do currículo não implica a participação automática no processo de Seleção de Conselheiros 2022. O edital e as devidas orientações para participar do processo seletivo serão publicados pela Previ em breve.

Fonte: Previ

 

CVM responde sobre indicação de conselheiros com conflitos de interesse

Publicado em: 20/11/2020

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) respondeu à ANABB sobre os questionamentos enviados em 2019, a respeito da indicação de conselheiros para o Banco do Brasil que, na visão da Associação, apresentavam conflitos de interesse. Desde abril do ano passado, a ANABB vem se posicionando sobre o assunto. Durante a Assembleia Geral de Acionistas do Banco do Brasil, realizada em 26 de abril de 2019, a Associação registrou voto contrário à nomeação de Guilherme Horn, Marcelo Serfaty, Beny Parnes e Ricardo Reisen de Pinho para o Conselho de Administração. Todos eles exerceram atividades relacionadas à gestão de recursos de terceiros em empresas concorrentes do Banco do Brasil.

A resposta da CVM é a de que não foram identificados impedimentos para indicação dos citados. Embora essa autarquia determine que não pode ser eleito conselheiro que ocupe cargos em sociedades que possam ser consideradas concorrentes no mercado, informou que: “o senhor Marcelo Serfaty preside a sociedade investidora de eventual concorrente, e não a concorrente em si.”

Entenda mais sobre o assunto

Para zelar pela integridade do BB, a ANABB se posicionou de modo firme contra a eleição de membros para os Conselhos de Administração e Fiscal do BB que apresentavam conflito de interesses.

Em abril de 2019, o voto da Associação foi aceito e encaminhado à CVM. No dia 19 de junho de 2019, a Associação reforçou seu entendimento em novo ofício encaminhado à Comissão.

No dia 17 de julho do mesmo ano, a ANABB encaminhou novos documentos ao Tribunal de Contas da União (TCU), à Controladoria Geral da União (CGU) e ao Banco Central (Bacen) solicitando que os órgãos examinassem a ocorrência de conflito de interesses na nomeação do mesmo Conselheiro.

Em 2019, a CVM havia indicado que Guilherme Horn, Marcelo Serfaty, Beny Parnes e Mauricio Graccho de Severiano Cardoso exerceram nos últimos cinco anos atividades relacionadas à gestão de recursos de terceiros, assim como Luiz Fernando Figueiredo, sócio e CEO da Mauá Capital, que também havia sido indicado para compor o conselho de administração do banco.

O BB apresentou argumentos de defesa e a ANABB demonstrou o caráter limitante e a noção de impropriedade na nomeação de pessoas, cuja atuação no cargo de conselheiro resultaria mais em restrições e abstenções do que em utilidade ao Banco do Brasil.

Fonte: Agência ANABB

 

Diretor e conselheiros eleitos nas Eleições 2020 tomam posse na Previ

Publicado em: 10/09/2020

Na última quarta-feira, 2/9, foi realizada a cerimônia de posse dos dirigentes da Previ, em formato on-line pela ferramenta corporativa Teams, devido à pandemia de Covid-19. Foram apresentados os 29 membros para os mandatos de quatro anos nos órgãos colegiados da Previ, compostos pela Diretoria Executiva e os Conselhos Deliberativo, Fiscal e Consultivos do Plano 1 e do Previ Futuro. Veja abaixo quem são os novos membros:

 

Nos 116 anos de história da Previ, essa foi a primeira vez que a cerimônia de posse foi feita à distância. O evento representa a celebração do modelo de paridade da Entidade, um dos pilares da governança da Previ.

José Maurício Pereira Coelho, presidente da Previ, fez a abertura do evento e destacou que são os pilares da governança que fortalecem a Entidade e possibilitam que problemas conjunturais sejam enfrentados com lucidez e resiliência. “Boas práticas de governança estão intrínsecas na nossa cultura, fazem parte do cotidiano da Previ, assim como uma visão apurada de longo prazo. Essas qualidades proporcionam confiança para os associados mesmo nos momentos mais turbulentos. Gestão após gestão, em tempos de bonança e de tempestade, a governança da Previ permanece”, afirmou.

O diretor de Participações Denísio Liberato, indicado pelo patrocinador Banco do Brasil, falou sobre a criação da Previ e sua história. Em sua fala, ele elencou momentos marcantes da trajetória da Entidade e a sua importância para a história não só dos associados, mas também da previdência complementar no país. “É a força de seus valores corporativos que faz da Previ uma instituição centenária e dinâmica, que entrega benefícios e objetivos aos associados e cria valores difusos que atingem toda a sociedade brasileira. Quando alocamos os recursos dos associados, viabilizamos iniciativas empresariais, empreendimentos, conquistas para os nossos associados e financiamos o investimento e o crescimento brasileiro por meio da poupança institucional de longo prazo. Chego na Previ ciente de que a força desses valores guia cada um de nossos atos e reafirmo o meu compromisso de defender essa entidade que é motivo de tanto orgulho”, declarou.

Wagner Nascimento, diretor de Seguridade eleito pelos associados, que representou a chapa vencedora, fez um discurso emocionado, no qual agradeceu o apoio dos participantes e colegas e contou um pouco de sua trajetória dentro do BB. “Trabalharemos para nos reinventar, melhorar e modernizar o relacionamento com os associados e entidades, seja na comunicação tradicional, como também fazendo uso de novas tecnologias e inovadoras formas de comunicação, sem abrir mão da proximidade e de sermos um mandato coletivo”, declarou. Para ele, o compromisso com a Previ é muito importante e vem de longa data. “Quando eu passei no concurso do Banco do Brasil, eu liguei para contar a uma prima que trabalha em um banco concorrente e, dentre as muitas coisas que ela me falou, uma frase ficou registrada: ‘não deixe de entrar na Previ’. Na dúvida se era só para me inscrever como associado ou como funcionário da Previ, eu vim parar dentro da Entidade. Somos uma só Previ e assim trabalharemos para continuar sendo referência no mercado de fundo de pensão e cumprir com zelo a nossa nobre missão de garantir o pagamento de benefício a todos nós, associados, de forma eficiente, segura e sustentável”, concluiu.

Carlos Renato Bonetti, presidente do Conselho Deliberativo da Previ, foi reconduzido ao cargo e desejou boas-vindas aos colegas que chegam para compor a governança da Previ. “São muitas as responsabilidades e muitos os desafios importantes na modernização, no ganho de eficiência, na gestão mais ágil para gerir esse conjunto de ativos e passivos que dão a sustentação dos planos e do pagamento dos benefícios. Mas temos a certeza de que, com a competência do corpo técnico, a diligência da Diretoria Executiva e o comprometimento e o envolvimento dos membros que compõem o Conselho, nós vamos, mais uma vez, vencer e sair melhores do que já pudemos ser em algum momento no passado”, encerrou.

Eleições Previ 2020

As Eleições Previ 2020 foram adiadas devido à pandemia de Covid-19 e passaram por adaptações nos canais de votação para atender amplamente a todos os seus associados. Afinal, a governança corporativa é o eixo central da credibilidade da Previ e é motivo de orgulho para a Entidade.

O processo de renovação dos órgãos colegiados da Entidade se repete a cada dois anos com a eleição de metade dos membros da Diretoria Executiva e dos Conselhos Deliberativo, Fiscal e Consultivos do Previ Futuro e do Plano 1 pelos participantes. A outra metade é indicada pelo patrocinador, o Banco do Brasil. Esse modelo de paridade, que conta com a participação ativa de seus participantes, fortalece a Previ e a deixa ainda mais preparada para os desafios.

Os diretores e conselheiros indicados e eleitos vêm sendo formalmente empossados desde 1/6, conforme previsto no Estatuto da Previ, tão logo habilitados pela Previc para o exercício dos respectivos cargos. Saiba mais sobre a estrutura organizacional da Previ e quem a compõe em A Previ > Estrutura Organizacional.

Fonte: Previ

Edital para a Seleção de Conselheiros 2021 já está disponível

Publicado em: 03/09/2020

O edital do processo de seleção de conselheiros está disponível para os interessados em concorrer a uma vaga de conselheiro nas empresas participadas da Previ. O cadastro do currículo deverá ser realizado de 31/8 a 25/9 por meio do site da Previ, na seção Investimentos > Governança > Conselheiros > Sala de Conselheiros > Currículos, conforme cronograma a seguir:

Aposentados e funcionários da ativa podem realizar o cadastramento ou a atualização de seu currículo no site da Previ mediante uso da matrícula e da senha do Autoatendimento.

Candidatos externos que queiram participar do processo deverão solicitar à Previ, por meio do endereço eletrônico gepargovernanca@previ.com.br, login e senha de acesso ao currículo. Os candidatos externos que já tenham participado de processos anteriores deverão utilizar o login e a senha de acesso encaminhados eletronicamente pela Previ em outras oportunidades.

Fonte: Previ

Previ: seleção de conselheiros 2021 tem início no final deste mês

Publicado em: 06/08/2020

No final deste mês de agosto, terá início a Seleção de Conselheiros 2021. Realizado anualmente, o processo tem o objetivo selecionar candidatos para preencher vagas nos conselhos das empresas nas quais a Previ é acionista. A escolha privilegia a diversidade de gênero, raça, formação e experiências profissionais, conforme princípios de melhores práticas de governança corporativa.

A partir do dia 31 de agosto os interessados em concorrer às vagas devem cadastrar e/ou atualizar o seu currículo no site da Previ, acessando a seção Investimentos > Governança > Conselheiros > Sala de Conselheiros > Currículos.

Podem se candidatar a conselheiro em empresas da carteira de investimentos da Previ participantes aposentados ou da ativa que possuam tempo mínimo de dez anos de experiência profissional, com mínimo de quatro anos em cargo de alta gerência.

No caso dos funcionários da ativa, somente será aceito o exercício dos seguintes cargos: presidente, vice-presidente e/ou diretor (equivalentes a cargos de 2º nível organizacional ou acima) e cargos classificados como alta gerência, conforme Referências Organizacionais do plano de funções do Banco do Brasil vigente listadas a seguir:

a) segmento gerencial: exercício efetivo de cargos com níveis de classificação 1º a 4º para as funções de confiança nas Unidades Estratégicas, Tática, Unidades no Exterior e Unidades Operacionais;

b) assessoramento: funções de confiança nas Unidades Estratégicas, Tática e Unidades no Exterior, com níveis de classificação 1º a 4º, e nas Unidades Operacionais, cargos com referência organizacional com nível de classificação 1º.

Candidatos externos, ou seja, aqueles que não são associados da Previ, devem ser autorizados pela alçada competente e possuir ao menos 15 anos de experiência profissional, e ter atuado, no mínimo, por dois anos em cargos de presidente/diretor ou por quatro anos em cargo de alta gerência.

Orientações complementares

Os documentos comprobatórios que já tenham sido encaminhados pelos candidatos não precisam ser reenviados, porém a comprovação de novas informações registradas será necessária.

Para cadastro e envio do currículo, o associado da Previ, aposentado ou funcionário da ativa do BB, deverá logar com sua matrícula (sem o DV) e com a mesma senha do Autoatendimento.

Os candidatos externos autorizados a participar do processo deverão utilizar o login e a senha de acesso ao site encaminhados pela Gerência de Participações Mobiliárias e Governança Corporativa (Gepar) da Previ. Em caso de perda ou esquecimento dos dados, é necessário encaminhar solicitação para o e-mail gepargovernanca@previ.com.br com nome completo e CPF.

Fonte: Previ

Previ divulga resultado parcial da Seleção de Conselheiros 2020

Publicado em: 04/06/2020

O resultado parcial da Seleção de Conselheiros 2020 já foi definido em assembleias ocorridas em março e abril de 2020. No total, foram indicados 82 candidatos, dos quais 20 são mulheres, o que significa 20% do total de indicações. Devido ao cenário atual de pandemia da Covid-19, o resultado na íntegra do processo seletivo ainda não está disponível, pois algumas empresas obtiveram autorização legal para suspender as assembleias e as remarcaram para julho deste ano. Confira a relação parcial dos conselheiros selecionados.

A seleção, iniciada em agosto de 2019, contribui para o aprimoramento das empresas participadas em relação às melhores práticas relacionadas aos critérios ASGI (Ambiental, Social, Governança e Integridade). Para contribuir com as companhias, a Previ indica conselheiros de administração e conselheiros fiscais selecionados após a realização de processo isonômico, objetivo e estruturado que permite identificar o candidato com perfil mais adequado para cada vaga.

Para a Previ, a diversidade representa uma boa prática adotada pelos conselhos, que traz efeitos positivos para a performance dos investimentos. Enquanto investidora institucional, a Entidade entende a importância do processo e, a partir da presença de conselheiros indicados pela Entidade em empresas participadas e eleitos nas assembleias das companhias, foca em buscar a sustentabilidade do negócio e otimizar os resultados para os acionistas.

Fonte: Previ

AGEBB vai lançar candidatos próprios aos conselhos do Economus em 2020

Publicado em: 28/01/2020


Entre os dias 6 e 17 de abril o Economus – Instituto de Seguridade Social realizará eleições para definir seus novos membros dos conselhos Deliberativo e Fiscal. Serão eleitos apenas dois representantes para o Conselho Deliberativo e um para o Fiscal, além de seus respectivos suplentes. Durante reunião em São Paulo, a diretoria da AGEBB definiu que a associação apresentará candidatos próprios em ambos os pleitos deste ano.

Os eleitos terão mandato de quatro anos. As inscrições dos candidatos estão abertas desde a segunda, 27, e encerram-se às 18 horas do próximo dia 14 de fevereiro. Para demonstrar de forma transparente todo o processo eleitoral e suas etapas regulamentares, foi criada uma página exclusiva para as Eleições 2020. A definição dos candidatos da AGEBB ocorre nos próximos dias.

O Conselho Deliberativo é o órgão de decisão e orientação superior do Economus, responsável pelas principais decisões que impactam o presente e o futuro dos Participantes e Assistidos. Ele reúne seis membros titulares e outros seis suplentes. O Conselho Fiscal, por sua vez, é o órgão de controle interno responsável por zelar pela gestão econômico-financeira e o cumprimento das regras de governança. Analisa e aprova os balancetes, emite pareceres sobre o balanço, aponta deficiências, avalia adequação de hipóteses atuarias e execução orçamentária, entre outras atribuições. Ele é integrado por, no máximo, quatro membros titulares e quatro suplentes.

Nas Eleições Economus de 2018 um total 19.732 eleitores poderiam votar. Mas foram computados apenas 47,03% de votos válidos na disputa do Conselho Deliberativo e 45,36% na corrida do Conselho Fiscal. Também foram registrados, respectivamente, 2,11% de votos em branco e 4,88% de nulos no primeiro pleito e 3,09% em branco e 5,5% de nulos, no segundo. E não votaram para o Conselho Deliberativo 45,98% dos eleitores e para o Conselho Fiscal, 46,05%.

O Economus oferece aos participantes rendas suplementares às do INSS, para aposentadoria e em casos de doença, invalidez ou morte. Além disso, administra os planos de saúde subsidiados pelo banco patrocinador e concede empréstimos exclusivos aos participantes.

Fonte: AGEBB

Eleições da Cassi serão em março; chapas podem se inscrever até o dia 31

Publicado em: 15/01/2020


A Cassi divulgou em seu site que a partir de hoje está aberto o período de inscrição para eleições para diretor(a) de Plano de Saúde e Relacionamento com Clientes e para novos representantes dos Conselhos Fiscal e Deliberativo. As chapas podem se inscrever até as 18h do dia 31 de janeiro.

A votação está marcada para o período de 16 a 27 de março e os eleitos terão mandatos de 1º de junho de 2020 a 31 de maio de 2024.

Todas as informações sobre o processo eleitoral estão disponíveis na matéria CASSI publica regras para as Eleições 2020, publicada no site da entidade. Dúvidas sobre o processo eleitoral podem ser encaminhadas para o endereço comissaoeleitoral2020@cassi.com.br.

STJ cassa liminar

Uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) suspendeu os efeitos de uma liminar concedida pela 47ª Vara Civil do Rio de Janeiro, que sustava a aplicação do novo Estatuto Social da Cassi. O novo estatuto havia sido aprovado pelos associados em consulta realizada entre os dias 18 e 28 de novembro. Com a decisão do STJ, o novo estatuto permanece em vigor.

Com a liminar solicitada pela “Associação Viva Funci”, o resultado da consulta aos associados havia sido sustado, impedindo que a Cassi recebesse mais de R$ 1 bi do Banco do Brasil (incluindo 600 milhões da contribuição por dependentes e taxa administrativa, mais cerca de R$ 450 milhões para a equalização do déficit do Grupo de Dependentes Indiretos – GDI).

Do total de votantes na consulta aos associados da Cassi, 81.982 aprovaram a proposta. Isto é mais do que o dobro dos 39.608 votos contrários à proposta. A associação reclamante queria que fossem considerados os 1.516 votos nulos para o cálculo do percentual de aprovação da proposta.

Para o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga, o caso mostra quem realmente defende os interesses dos associados. “Quem quer barrar a aprovação das alterações no Estatuto terá que justificar sua posição para o conjunto dos associados e dizer por que defende os interesses do mercado e não o dos funcionários”, observou.

Fukunaga acrescentou ainda que a liminar agora cassada atendia o pedido de uma associação criada em julho de 2019 por pessoas ligadas ao mercado de saúde, que parece ter interesses diferentes dos associados. “Em nenhum lugar do mundo votos nulos são considerados”, completou.

Fonte: Previ com Sindicato dos Bancários de São Paulo

Previ: nova oportunidade para participar da seleção de conselheiros 2020

Publicado em: 30/10/2019


Desde o dia 28 de outubro até as 18h de 8 de novembro estarão reabertos o cadastramento e a atualização de currículos para a Seleção de Conselheiros nas empresas participadas da Previ. A reabertura, prevista no edital, permitirá novos cadastramentos, ajuste de informações já cadastradas e envio de documentação comprobatória pendente. Basta acessar a Sala de Conselheiros do site da Previ, na seção Investimentos >> Governança >> Conselheiros, e preencher seu login e senha.

Como divulgado em Conheça o novo modelo de currículo para a Seleção de Conselheiros, o currículo mudou e é necessário estar atento aos novos parâmetros exigidos. Após a primeira etapa de validação das informações curriculares, a Previ identificou que o principal equívoco cometido pelos candidatos é deixar de selecionar mais de um quesito nas questões que admitem a múltipla marcação de alternativas. São elas: pós-graduações, certificações e produção e aquisição de conhecimento contínuo.

Caso você possua mais de uma pós-graduação com carga horária mínima de 360 horas, por exemplo, selecione as opções “Primeira Pós-Graduação (MBA, Mestrado ou Especialização), com mais de 360 horas de duração” e “Segunda (ou mais) Pós-Graduação (MBA, Mestrado ou Especialização), com mais de 360 horas de duração”.

O segundo maior equívoco verificado é quanto à classificação das certificações emitidas pelo ICSS, que deverão ser classificadas como “Certificação de Conselheiro de Administração” ou “Certificação de Conselheiro Fiscal”. Caso possua mais de uma certificação, o candidato pode marcar mais de uma opção.

O preenchimento correto do currículo garantirá melhor análise das informações e a justa definição da pontuação final.

Fonte: Previ

Vale terá conselheiros independentes pela primeira vez no conselho

Publicado em: 29/09/2017


A pouco menos de um mês da eleição de dois representantes independentes para o Conselho de Administração da Vale, os candidatos estão em campanha eleitoral. Oficialmente, há duas chapas concorrendo com dois candidatos cada: uma apoiada pela gestora britânica Aberdeen e outra por um grupo de mais de dez acionistas, entre eles os fundos Tempo Capital e Geração Futuro L. Este último do empresário Lírio Parisotto, ex-companheiro da atriz e ex-modelo Luiza Brunet.

A assembleia será realizada em 18 de outubro, no Rio, e há expectativa de realização de debates para que os candidatos possam apresentar suas plataformas, como nas eleições para cargos públicos.

Além de poder influenciar as decisões da companhia, os eleitos terão um reforço nas suas contas bancárias. A previsão de remuneração dos membros do Conselho de Administração da Vale para 2017 é de R$ 8,1 milhões, segundo documento disponível em seu site. A conta considera 24 vagas (12 titulares e 12 suplentes), o que daria cerca de R$ 338 mil para cada um no ano.

 

Votação por maioria simples

 

Atualmente, a Vale tem dez conselheiros titulares e nove suplentes — um dos assentos de suplente está vago. O Conselho de Administração é dominado por representantes de acionistas que integravam o bloco de controle da companhia. São eles Litel (que reúne fundos de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, Petrobras, Caixa Econômica Federal e Cesp), Bradesco e a japonesa Mitsui. Até agosto, esses acionistas detinham ações na Vale por meio da holding Valepar.

Com o objetivo de levar a empresa ao Novo Mercado, mais alto nível de governança da Bolsa, a mineradora passou por uma reestruturação societária, pela qual a Valepar deixou de existir, e a fatia daqueles acionistas foi reduzida a 44% das ações ordinárias (com voto). A eleição dos dois conselheiros independentes faz parte desse processo, pois é uma exigência do Novo Mercado.

Na chapa apoiada pela gestora Aberdeen estão Isabella Saboya, conselheira da Wiz Soluções, e Sandra Guerra, uma das fundadoras do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). Na outra chapa estão Ricardo Reisen, conselheiro da Oi e da Light, e Marcelo Gasparino, conselheiro da Eletropaulo e da Eternit. Isabella e Reisen vão disputar uma das vagas pelo chamado processo de eleição majoritário, na qual os controladores podem votar e só votam donos de papéis ordinários. Sandra e Gasparino vão brigar pela vaga na votação em separado, em que só votam minoritários e em que os preferencialistas têm direito a voto.

Em ambos os casos, ganha quem tiver maioria simples. Na votação em separado, porém, há exigência de quórum mínimo (ações ordinárias que tenham ao menos 15% do capital social e ações preferenciais que representem ao menos 10% do capital social). Em abril, houve a primeira tentativa de eleger um conselheiro independente. Isabella, Sandra e Gasparino estavam na disputa, mas não houve quórum para levar a votação adiante.

Os quatro candidatos atuais já tiveram seus nomes incluídos no boletim de voto à distância, pelo qual acionistas podem votar sem necessidade de ir à assembleia. Esse mecanismo é relevante no caso da Vale porque muitos acionistas ficam fora do Brasil. A expectativa dos candidatos é com relação aos debates. A Glass Lewis, empresa especializada em orientação de voto, deve fazer um. Possivelmente, a Associação de Investidores de Mercado de Capitais (Amec) também fará o seu.

Pela Lei das S.A. é preciso ter ao menos 0,5% de ações ordinárias ou preferenciais para indicar um candidato.

Fonte: O Globo

Previ: inscrições para a Seleção de Conselheiros 2018 estão abertas

Publicado em:


Prazo se encerra às 9h de 16/10. Escolhidos no processo serão conselheiros das empresas participadas da PREVI.

Começou o período para os candidatos manifestarem interesse em participar do processo de Seleção de Conselheiros 2018, assim como para o cadastramento, atualização do currículo e envio de documentação. O prazo se encerra às 9h de 16/10. O acesso é pela seção Investimentos >> Governança >> Conselheiros >> Sala de Conselheiros >> Currículos. Confira o edital do processo seletivo, publicado em 15/9.

 

As informações curriculares devem ser comprovadas durante o período de inscrições. Os documentos enviados por ocasião da Seleção 2017 (ocorrida em 2016) não precisam ser reenviados para o atual processo seletivo. Entretanto, qualquer informação atualizada ou incluída no currículo deve ser comprovada até às 9h do dia 16/10. A opção de anexar documentos não será disponibilizada aos candidatos que não atingirem a pontuação mínima curricular. Nesse caso, o sistema vai emitir um alerta.

Você pode consultar no item 9 do Edital a relação de documentos aceitos pela PREVI para comprovar as informações que devem ser preenchidas no currículo. Eventuais dúvidas podem ser encaminhadas para gepargovernanca@previ.com.br. Confira o passo-a-passo para preencher ou revisar o currículo corretamente. Verifique atenciosamente cada quesito na hora de informar os dados.

É importante lembrar que, mesmo sem alterações na informações curriculares, é indispensável que o candidato acesse o site da PREVI para manifestar seu interesse em participar do processo seletivo. A ausência de manifestação acarreta a não participação no processo.

Em seu Código de Melhores Práticas de Governança Corporativa a PREVI recomenda que os Conselhos devem ter uma composição que privilegie a diversidade de conhecimentos, experiências e visões, além de incentivar a participação feminina cada vez maior nos órgãos de governança de suas empresas participadas.

Fonte: Previ