Cassi faz consulta pública para construir política de relacionamento com PcD

Publicado em: 02/05/2024

Até o dia 26 de maio, a CASSI promove uma consulta pública aberta, para subsidiar a construção da Política de Relacionamento com a Pessoa com Deficiência (PcD), e todos os cidadãos poderão enviar contribuições. A manifestação é feita via formulário (clique aqui), onde os participantes se manifestam sobre problemas e soluções previamente apontados durante as 27 conferências estaduais, durante sete meses.

Cerca de 1000 problemas foram levantados nesses encontros estaduais, ao longo de sete meses, e foram apresentadas mais de 960 soluções, que foram base para construir a proposta que está em Consulta Aberta.

O objetivo desta consulta é identificar pontos fortes, oportunidades de aprimoramento e áreas que necessitam de revisão para atender os participantes da CASSI. As sugestões serão analisadas e debatidas na Conferência Nacional que será realizada em junho, com a participação dos delegados eleitos como representantes dos estados.

Fonte: Cassi

Chapas 6 e 33 vencem eleições da Cassi, encerradas no dia 25

Publicado em: 27/03/2024

As eleições da Cassi foram encerradas às 18h desta segunda-feira 25 de março. Apoiadas pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região, as chapas 6 e 33, também indicadas pela AGEBB, foram eleitas, respectivamente, para a Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e Conselho Deliberativo; e para o Conselho Fiscal.

Na votação para a Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e Conselho Deliberativo, a chapa 6 (Cassi Para os Associados) venceu com 29.796 votos. Já na votação pra o Conselho Fiscal, a chapa 33 (Cassi Para os Associados) venceu com 29.055 votos.

“Quero agradecer muito os associados e associadas que participaram desse processo, uma eleição tão importante para a Cassi. Agora vamos fazer todo um trabalho para garantir um maior acolhimento, uma Cassi mais moderna e garantir a sustentabilidade da nossa caixa de assistência, que é o mais importante”, enfatiza a diretora executiva do Sindicato e agora conselheira deliberativa eleita da Cassi, Ana Beatriz Garbelini.

“Agradeço a confiança das pessoas que votaram nas chapas 6 e 33. Vamos fazer o melhor trabalho pela Cassi, por seus associados. Podem contar conosco sempre! Cassi para os associados. Esse nome é o resultado de todo esse processo. Foram muitos debates, foram conversas muito boas, e agora é trabalhar muito para garantir a sustentabilidade e o acolhimento na nossa Cassi”, acrescenta a conselheira deliberativa eleita da Cassi.

Veja os nomes dos integrantes das chapas 6 e 33, eleitas nas eleições da Cassi.

Conselho deliberativo (Chapa 6)

Alberto Alves Júnior – Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes
Ana Beatriz Garbelini (titular)
Maria das Graças C. Machado (titular)
Alessandro Greco Garcia (suplente)
Pedro Carvalho Martins Conselho Deliberativo (suplente)

Conselho fiscal (Chapa 33)

Pedro Paulo Campos Magno (titular)
Sybelle Natalle Braga Chagas (titular)
José Arimatea de Sousa Passos (suplente)
Thiago Noleto de Pádua (suplente)

Fonte: Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região

Eleições Cassi 2024: não deixe de registrar seu voto na última hora

Publicado em: 21/03/2024

As Eleições Cassi 2024 começaram no dia 15 e seguem até o dia 25 de março. Funcionárias e funcionários do Banco do Brasil, da ativa e aposentados, associados à Cassi, devem votar duas vezes: uma para a Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e Conselho Deliberativo; e outra para o Conselho Fiscal.

A AGEBB, bem como a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) e a maior parte das entidades que defendem o funcionalismo do BB, apoiam as chapas 6 e 33 “Cassi para os Associados”, formada por candidatos com autonomia em relação ao banco.

“São funcionários da ativa e aposentados do BB, pré e pós 1998, de várias regiões do país. Portanto, capazes de compreender melhor as várias necessidades dos participantes, conforme a situação regional”, explica Fernanda Lopes, coordenadora da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), ligada à Contraf-CUT.

Entre as propostas da chapa 6 e da chapa 33, estão a integração da saúde do trabalhador com a Atenção Primária, para fortalecer a prevenção em saúde no ambiente de trabalho junto ao Banco do Brasil; a defesa de uma Cassi para todos, com a filiação de funcionários de bancos incorporados, fortalecendo ainda mais o Plano Associados; e a expansão da Telessaúde, baseada na Estratégia Saúde da Família para o interior.

O voto pode ser feito nas seguintes plataformas: site da Cassi, APP da Cassi no celular, terminais de autoatendimento (TAA) ou SISBB (este, exclusivo para funcionários da ativa).

Para votar no site da entidade (http://www.cassi.com.br):

  1. Escolha o perfil “Participante”.
  2. Em seguida, clique em “Acessar serviço” e depois em “Titular”, para informar CPF e senha previamente cadastrados.
  3. Depois de fazer login, procure no menu a opção “Votação CASSI” e siga as orientações.

Fonte: Contraf_CUT

Cassi inicia construção da política de Diversidade, Equidade e Inclusão  

Publicado em: 14/03/2024

Segunda-feira, 11 de março de 2024, foi um dia histórico para a CASSI, pois marcou o lançamento das ações voltadas para a construção de uma política de promoção da igualdade, inclusão étnico/racial e o etarismo dentro da organização. Para iniciar esse debate, foi realizado o seminário “O Valor da Diversidade para um Conviver Transformador”, com a participação da presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo (SEEB), Neiva Ribeiro, do consultor da Fiocruz, Armando Nembri e do assessor da Unidade de Captação e Investimentos do Banco do Brasil, Theo Linero.    

“Em 2023 iniciamos a construção de uma política inclusiva, voltada para atender as pessoas com deficiência. Agora, estamos ampliando esse debate ao promover a diversidade, garantindo as oportunidades e acesso a todos. Contribuir para que a sociedade e a Caixa de Assistência sejam cada vez mais inclusivas”, pontuou o presidente da CASSI, Claudio Said, ao realizar a abertura do evento.   

Durante a participação no Seminário, Theo Linero contou sua experiência ao fazer parte da implantação da política de diversidade no Banco do Brasil, além de compartilhar um pouco da sua história e desafios na condição de homem trans. “Não é uma luta. É uma construção coletiva. Para entender a realidade do outro, é fundamental que estejamos dispostos a falar sobre o tema, ter conhecimento sobre o assunto e, por fim, dialogar sobre ele”, compartilhou Theo ao lembrar que o ambiente de trabalho deve estar em sintonia com a vida pessoal.   

Com o tema “A importância do acolhimento para um conviver diverso e inclusivo”, o consultor da Fiocruz, Armando Nembri, que é deficiente auditivo, lembrou a importância de saber escutar e olhar para o próximo. “Lá fora, temos várias pessoas esperando um olhar nosso. A maioria de nós possui o sentido da audição perfeito, o da visão também, mas não sabem escutar, olhar e, por fim, falar com as pessoas. Para mudarmos o mundo é fundamental estarmos alinhados com esses sentidos”.   

Já Neiva Ribeiro, que está à frente do Sindicato, falou sobre os desafios da inclusão das mulheres na política e o quanto ainda precisa ser feito. “Já tivemos muitos ganhos ao longo dos anos, mas ainda há muito caminho a percorrer. Queremos mais mulheres atuantes na política. Mais representatividade”, completou a presidente do SEEB-SP ao lembrar que debates como esse são fundamentais para traçar as estratégias e avançar nessa luta. 

O projeto para a construção da política de Diversidade, Equidade e Inclusão da CASSI terá várias etapas, dentre elas, pesquisa interna, criação de grupos auto-organizados, trilhas de capacitação, além da criação de benefícios que promovam a equidade dentro da Instituição. De acordo com a gerente da Divisão de Capital Humano da CASSI, Silvia Muto, o programa será dividido em duas frentes. “Vamos trabalhar esse tema com os nossos participantes, na medida em que alinhamos nossos serviços e atendimentos. E, paralelamente, avançaremos o assunto internamente, com nossos colaboradores”, finaliza Silvia Muto.  

Fonte: Cassi

Eleições Cassi 2024: votações vão até o próximo dia 25 de março

Publicado em:

Começou no último dia 15 e termina em 25 de março as Eleições Cassi 2024. Os associados poderão escolher seus representantes para a Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e para os Conselhos Deliberativo e Fiscal, com mandatos de junho de 2024 a maio de 2028.

São duas votações no mesmo processo eleitoral: uma para a Diretoria e Conselho Deliberativo e outra para o Conselho Fiscal. É necessário finalizar a primeira votação para então participar da segunda eleição.

O voto pode ser registrado pelo app, site CASSI ou pelos terminais de autoatendimento (TAA) do Banco do Brasil. Funcionários BB da ativa poderão votar também pelo SisBB.

Para conhecer as propostas das chapas e saber como votar acesse aqui.

Eventuais dúvidas sobre o processo eleitoral devem ser encaminhadas à Comissão Eleitoral pelo e-mail comissaoeleitoral2024@cassi.com.br.

Fonte: Cassi

Eleições da Cassi 2024 acontecem entre os dias 15 e 25 de março

Publicado em: 07/03/2024

Estão chegando as eleições que irão escolher os ocupantes para cargos da Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes, do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi). O pleito ocorre entre 15 e 25 de março.

Funcionários e funcionárias da ativa e aposentados do BB, associados à Cassi, poderão participar da votação. As chapas que se inscreveram para os mandatos de junho de 2024 a maio de 2028 são as seguintes: “Em Defesa da Cassi Solidária”, “Cassi para Todos os Associados” e “Somos Cassi”.

Um dos temas em pauta na disputa eleitoral deste ano é o equilíbrio financeiro da entidade. Recentemente e após intenso período de negociações, o Banco do Brasil e a Cassi concluíram os entendimentos sobre os repasses das contribuições patronais sobre verbas salariais ou remuneratórias, pagas em demandas trabalhistas. Com isso, a caixa de assistência receberá recursos repassados pelo BB e que irão garantir equilíbrio financeiro para 2024.

Saiba tudo sobre as Eleições Cassi 2024 aqui.

Conselho de Usuários da Cassi promove debate com candidatos à diretoria nas Eleições 2024

Publicado em: 22/02/2024

No dia 21 de fevereiro, o Conselho de Usuários da Cassi de São Paulo, com apoio técnico da AGEBB, promoveu um debate entre os candidatos que encabeçam as chapas à Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes nas Eleições Cassi 2024. Dos três concorrentes, Fabiane Campos Vale Jerke (Chapa 02: Somos Cassi) não participou por motivos de saúde (ela contraiu dengue) e foi representada pelo candidato ao Conselho Fiscal, Edson Xavier.

Os demais candidatos, Cristiana Silva Rocha Garbinatto (Chapa 04: Em Defesa da Cassi Solidária) e Alberto Alves Junior (Chapa 06: Cassi para os Associados), participaram ativamente do debate, que durou cerca de duas horas e foi transmitido pelo canal da AGEBB no YouTube.

Foi, como já havia destacado Thiago Eloi Onofre, coordenador do Conselho de Usuários da Cassi no Estado de São Paulo, uma ótima oportunidade para que os usuários pudessem conhecer os candidatos e suas propostas de trabalho.

As Eleições Cassi 2024 acontecem de 15 a 25 de março, e os eleitos terão mandatos de 3 de junho de 2024 a 31 de maio de 2028.

Perdeu o debate? Clique aqui para acompanhar na íntegra a transmissão realizada no dia 21 de fevereiro.

Conselho de Usuários promove debate com candidatos das Eleições Cassi 2024

Publicado em: 09/02/2024

No dia 21 de fevereiro, a partir das 16 horas, o Conselho de Usuários da Cassi de São Paulo, com apoio técnico da AGEBB, organiza um debate com os três candidatos à Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes nas Eleições Cassi 2024. O debate ocorre após a reunião de conselheiros e convidados do conselho paulista.

Participam do debate Fabiane Campos Vale Jerke (Chapa 02: Somos Cassi), Cristiana Silva Rocha Garbinatto (Chapa 04: Em Defesa da Cassi Solidária) e Alberto Alves Junior (Chapa 06: Cassi para os Associados). “Será uma ótima oportunidade para que os usuários possam conhecer os candidatos e suas propostas de trabalho”, afirma Thiago Eloi Onofre, coordenador do Conselho de Usuários da Cassi no Estado de São Paulo.

As Eleições Cassi 2024 acontecem de 15 a 25 de março, e os eleitos terão mandatos de 3 de junho de 2024 a 31 de maio de 2028. Dúvidas sobre o processo eleitoral podem ser encaminhadas por e-mail para o endereço comissaoeleitoral2024@cassi.com.br.

O debate entre os candidatos à diretoria da Cassi poderá ser acompanhado pelo Canal da AGEBB no YouTube. Clique aqui para acompanhar.

Fonte: AGEBB

Amaral: “para mantermos a sustentabilidade da Cassi, é preciso solidariedade”

Publicado em:

Em maio de 2022, Fernando Amaral assumiu a Diretoria de Risco Populacional, Saúde e Rede de Atendimento da Cassi (Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil). Entre as promessas de campanha da chapa “Unidos Por uma Cassi Solidária”, que contou com o apoio do Sindibancários/ES, destacavam-se três eixos: a defesa da solidariedade como princípio inalienável, a ampliação da Estratégia de Saúde da Família e o investimento em atenção primária. Na entrevista a seguir, Amaral faz um balanço desses quase dois anos, aponta onde estão os principais gargalos e identifica os desafios que tem pela frente para manter a Cassi sustentável, com atuação perene e solidária.

Quais os destaques que o senhor faz dessa primeira parte do mandato da chapa “Unidos por uma Cassi Solidária”?
Importante lembrar que as eleições da Cassi são feitas em dois processos distintos, porém concomitantes: uma eleição para a Diretoria e Conselho Deliberativo e outra para o Conselho Fiscal. A Diretoria Executiva da Cassi tem o objetivo de fazer a gestão executiva, de acordo com as estratégias e orientações emanadas do Conselho Deliberativo. Por isso a proximidade necessária dessas duas instâncias da governança da Cassi.

O Conselho Fiscal tem a função de, em nome dos associados, fiscalizar a condução dos negócios e o cumprimento dos ditames legais, dos normativos infralegais (Ministério da Saúde, ANS, ANVISA, CPC etc) e os parâmetros estatutários, regulamentares e regimentais da Cassi, com total independência e autonomia com relação às instâncias de governança.

Por este motivo destaco, com relação à atuação da Diretoria de Saúde, o projeto de expansão da oferta da atenção primária à saúde para 100% dos participantes da Cassi; a retomada dos estudos científicos e da edição de boletins epidemiológicos da Cassi; a isenção de coparticipações nos atendimentos da rede própria da Cassi – CliniCassi própria, CliniCassi parceiros, Telessaúde APS e Telessaúde PA – para todos os participantes; a extinção do gatilho de coparticipação para exames e consultas; o retorno do encontro nacional dos representantes do conselhos de usuários; a retomada do programa Integra com periodicidade mensal; o projeto de inclusão da construção da Política de Relacionamento com as Pessoas com Deficiência da Cassi; e a aproximação com as Universidades e faculdades da área de saúde em todos os estados.

Em relação à promoção da atenção integral à saúde, as CliniCassi são as principais responsáveis pelo atendimento primário à saúde e canal essencial para garantir uma atenção integral à saúde dos participantes da Cassi. O que foi feito até agora e quais seus planos para as CliniCassi?
Logo na chegada, encontramos a decisão de fechar cinco unidades Cassi na Região Norte nos do país, nos estados de Roraima, Rondônia, Acre, Amapá e Tocantins, sob o argumento da pouca população do Plano de Associados e seus familiares dos demais planos. Em conjunto com essa medida estava previsto também a transferência para terceiros da gestão de 36 CliniCassi, e a criação de mais 34 CliniCassi por parceiros, mantendo apenas 29 das 65 CliniCassi.

Nesse primeiro período de gestão buscamos focar na expansão da oferta da atenção primária à saúde para 100% dos nossos participantes, de forma a poder oferecer também a coordenação de cuidados com sua saúde.

Após seis meses de gestão conseguimos indicar o gerente-executivo para conduzir esse processo já aprovado. Agora, um ano após o início do trabalho do grupo gestor para o Projeto de Expansão da oferta de Atenção Primária para 100% dos participantes da Cassi, podemos dizer que já iniciamos o processo de reforma e relocalização das CliniCassi próprias, para suportarem o aumento da demanda futura de participantes e que não foi fechada e nem transferida para terceiros nenhuma das CliniCassi próprias.

Para os participantes que habitam cidades com contingentes menores de funcionários (da ativa e aposentados) e parentes, foi concluída, em 16 de janeiro deste ano, a oferta de coordenação de cuidados por equipes de Atenção Primária à Saúde (APS), de forma virtual, pela Telessaúde APS. E os estudos feitos nos dão o conforto para apresentar, antes da conclusão dos nossos dois anos de mandato, a proposta para permanecerem próprias todas as 36 CliniCassi que seriam terceirizadas, com as devidas ampliações de equipes, reformas ou relocalizações de suas instalações.

O que o senhor pode dizer sobre a proposta de retomada da produção dos estudos e divulgação dos boletins epidemiológicos da Cassi?
Desde a nossa posse, a Gerência de Risco Populacional da Diretoria de Saúde vem sendo demandada com relação à produção científica e aos estudos epidemiológicos que podem servir de base para a atuação das nossas equipes de atenção primária à saúde, no sentido de nos anteciparmos com os cuidados e orientações para a promoção de saúde e a prevenção de doenças.

Essa equipe, nesse pouco tempo, já preparou dois importantíssimos estudos que foram publicados nos Boletins Epidemiológicos da Cassi. O primeiro foi sobre a Diabetes Mellitus e o segundo sobre a Hipertensão. Essas duas morbidades, juntamente com a dislipidemia [presença de níveis elevados de lipídios, ou seja, gorduras no sangue], são as principais causas dos problemas cardíacos que mais afetam nossos participantes (custo e mortalidade). Ao cuidarmos desses fatores, garantimos uma atuação pautada na prevenção, na melhoria da qualidade de vida de nossos participantes e na sua maior longevidade.

Ainda na produção de conhecimento científico, temos incentivado a participação de nossos profissionais de saúde em conferências e congressos nacionais e internacionais, não só para adquirirem cada vez mais conhecimento, mas, também, para apresentarem os estudos realizados na própria Cassi e inéditos para outras operadoras.

Nesse mesmo sentido, estamos buscando acordos de cooperação técnicas com as universidades públicas e privadas para, no futuro próximo, garantirmos acesso a nossos profissionais e possibilidade de estudos mais aprofundados em parceria com essas universidades e o espaço para estágios de futuros profissionais de saúde sob a nossa supervisão.

A Diretoria de Saúde está construindo uma política de relacionamento com as Pessoas com Deficiência (PcD). Quais os pontos que o senhor destaca dessa política?
Como bem foi destacado na sua pergunta, estamos construindo uma política. Isso significa que não estamos fazendo uma política para eles. Acreditamos no slogan desse projeto de construção: “Nada sobre nós, sem nós”. Essa política está sendo construída com as pessoas com deficiência, com as pessoas que cuidam das pessoas com deficiência e com as pessoas que convivem com essas pessoas.

E como está sendo desenhado o processo de construção dessas políticas?
O processo de construção prevê a realização de 27 conferências estaduais (uma em cada unidade da Federação), onde colhemos a descrição de problemas enfrentados por essas pessoas – nos aspectos de acesso à saúde, acesso ao trabalho e às condições de trabalho e ao relacionamento social – e as propostas deles para mitigar ou anular esses problemas enfrentados. A última conferência estadual está programada para 28 de fevereiro. Em seguida, serão consolidados todos os problemas e todas as sugestões de soluções para reenvio para os delegados eleitos nas conferências estaduais, para sua preparação para a Conferência Nacional, que ocorrerá em junho de 2024. E, em 21 de setembro de 2024, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, pretendemos oficializar a institucionalização da Política de Relacionamento com as Pessoas com Deficiência da Cassi.

Será, mais uma vez, a Cassi e os funcionários do Banco do Brasil dando exemplo do que pode ser realizado sobre inclusão, com união, associativismo e solidariedade.

Quais conquistas o senhor destaca como as mais importantes nesses quase dois anos de gestão?
No campo estratégico, destaco, em primeiro lugar, a consolidação do entendimento, na Diretoria Executiva da Cassi, de que a Cassi é uma só, seu objetivo é a prestação de serviços de saúde para todos os seus participantes, cuidar da saúde do participante em todas as fases da sua vida, para promover uma vida melhor para todos por meio da atenção integral à saúde.

E, em segundo lugar, a compreensão e o comprometimento dos nossos colaboradores na construção desse projeto de saúde, cuidado e acolhimento.

Olhando para os desafios que sua gestão tem pela frente, o que mais te preocupa?
O que mais me preocupa é o fato de que para mantermos a sustentabilidade e a perenidade da atuação da Cassi precisamos fortalecer a solidariedade. Porém, dependemos de frequentes alterações estatutárias, com a agravante de os representantes do patrocinador serem sempre orientados para a preocupação exclusiva com os resultados financeiros de curto prazo (para o BB), sem a percepção de que o mercado de saúde é diferente do mercado financeiro. Além disso, no mercado financeiro o BB é vendedor de dinheiro e, no mercado de saúde a Cassi é compradora de serviços. Para além de comprar os serviços, a Cassi tem na sua essência a prevenção e a segurança do cuidado.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo

Três chapas estão inscritas para as Eleições Cassi 2024

Publicado em: 28/01/2024

Em cumprimento ao artigo 8º, inciso VI, do Regulamento de Consulta ao Corpo Social da CASSI, divulgamos o nome e a composição das chapas inscritas, em ordem de recebimento dos requerimentos. Foram três chapas para Diretoria de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e Conselho Deliberativo e três para o Conselho Fiscal.

Todas as informações sobre o processo eleitoral estão disponíveis no hotsite. Confira abaixo a composição das chapas.

A Comissão Eleitoral da CASSI realizou no dia 25 de janeiro, às 16 horas, no auditório da Sede, em Brasília (DF), o sorteio dos números das chapas que cada uma delas terá nos canais de votação e no material de divulgação das Eleições CASSI 2024.

As chapas terão as seguintes numerações, que serão utilizadas para a apresentação nos canais de votação e materiais de divulgação em ordem crescente.

As chapas terão as seguintes numerações:

Eleição para Diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e membros do Conselho Deliberativo:

Chapa 02 – SOMOS CASSI
Chapa 04 – Em Defesa da Cassi Solidária
Chapa 06 – CASSI PARA OS ASSOCIADOS

Eleição para membros do Conselho Fiscal:

Chapa 33 – CASSI PARA OS ASSOCIADOS
Chapa 55 – SOMOS CASSI
Chapa 77 – Em defesa da Cassi Solidária

Fonte: Cassi

Repasses de contribuições sobre demandas trabalhistas serão feitos pelo BB à Cassi

Publicado em:

O Banco do Brasil (BB) e a Caixa de Assistência dos Funcionários do BB (Cassi) concluíram os entendimentos a respeito dos repasses das contribuições patronais sobre verbas salariais ou remuneratórias, pagas em demandas trabalhistas movidas contra a entidade. O valor que a Cassi receberá é de R$ 337,7 milhões, correspondente ao período de 13 anos, desde 2010, quando o banco interrompeu o envio dos recursos. A partir de agora, o pagamento também será regularizado.

O presidente da Cassi, Claudio Said, explica que “o BB reconheceu a questão e se dispôs a resolvê-la, numa iniciativa que é uma vitória institucional, tanto da Cassi como do banco, que teve a sensibilidade de eliminar essa pendência de modo permanente”. Claudio ressalta que “é importante lembrar que se trata de uma solução do passado e para o futuro também, pois, a partir de agora, sempre que o BB pagar uma ação, também fará o recolhimento da contribuição para a Cassi automaticamente”.

Para a coordenadora da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB (CEBB) e Conselheira Fiscal da Cassi, Fernanda Lopes, “essa é uma vitória do movimento, que lutou pela retomada dos repasses e atuou junto ao banco durante as negociações para resolver esse problema, que já se arrastava há 13 anos”.

Para o integrante do Conselho Administrativo da Cassi, Alberto Alves Junior, “é muito importante que os recursos referentes a essas contribuições estejam entrando neste momento, pois possibilita um maior equilíbrio financeiro para o Plano de Associados”. O conselheiro também lembra que “são valores recuperados, que deveriam ter sido recolhidos ao longo dos anos, mas que somente agora foram reconhecidos pelo BB, que definiu o repasse”.

Processo detalhado

O BB, como patrocinador, faz uma contribuição ao Plano Associados da Cassi de 4,5% da folha de cada beneficiário, que participa com mais 4%. Esses percentuais também incidem sobre verbas salariais e remuneratórias pagas ao funcionário em cumprimento a decisões judiciais ou definidos em conciliação entre as partes – as chamadas “reclamatórias trabalhistas”.

Os repasses referentes a esses pagamentos é que foram suspensos pelo banco em 2010 e serão feitos agora. O montante de R$ 337,7 milhões é a somatória todos os casos do período, atualizados individualmente com base no índice da taxa básica de juros brasileira, a Selic.

Claudio Said ressalta que “houve uma apuração, com levantamento detalhado de processo a processo e cálculos realizados tecnicamente por uma comissão com representantes do banco e da Cassi. Foi um trabalho muito consistente”.

Fernanda Lopes também observa que, “visto que essa é a contribuição patronal, a Cassi ainda vai buscar a pessoal, ou seja, do funcionário, inclusive com a colaboração do BB”. A coordenadora afirma que “nessa fase, o movimento sindical também estará presente, acompanhando e contribuindo, afinal a sustentabilidade da Cassi é do interesse de de todas e todos os funcionários e funcionárias do BB”.

Fonte: Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região

Eleições Cassi 2024: prazo de inscrição das chapas vai até o dia 22

Publicado em: 19/01/2024

O prazo de inscrição das chapas para concorrer às eleições para diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e para novos membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da CASSI termina às 18h do dia 22 de janeiro.

As orientações para inscrição e as regras para participação nas Eleições CASSI 2024 estão disponíveis nos documentos abaixo:

Edital de Convocação das Eleições CASSI 2024
Regulamento das Eleições CASSI 2024

A votação ocorrerá de 15 a 25 de março de 2024, e os eleitos terão mandatos de 3/6/2024 a 31/5/2028.

Dúvidas sobre o processo eleitoral podem ser encaminhadas por e-mail para o endereço comissaoeleitoral2024@cassi.com.br.

Fonte: AAPBB

MP do Trabalho investiga assédio em plano de saúde de servidores do BB

Publicado em:

A Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), empresa responsável pelo plano de saúde de servidores e aposentados do Banco do Brasil, está sendo investigada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) por supostamente não apurar casos de assédio moral denunciados por funcionários. O Banco do Brasil indica parte da cúpula da Cassi e repassa verbas à firma.

O inquérito civil corre no MPT do Distrito Federal e foi aberto no final de 2022, após uma apuração preliminar. Segundo a denúncia recebida pelo órgão, a Cassi “tem compactuado com inúmeros casos de assédio moral”, demite funcionários assediados e não apura as denúncias enviadas à Ouvidoria da empresa. Os procuradores cobraram explicações da Cassi e, mais recentemente, ouviram vítimas citadas no caso, incluindo um funcionário afastado do trabalho por motivos de saúde.

Uma dessas vítimas afirmou, em depoimento ao MPT no ano passado, que sofria humilhações constantes no ambiente de trabalho da Cassi, por parte de colegas e chefes, presencial e virtualmente. “Tudo o que eu fazia era motivo de chacota. Eram brincadeiras para humilhar”, afirmou a vítima no depoimento.

Além de citar detalhes do alegado assédio moral, essa pessoa enviou ao MPT prints de mensagens privadas e em grupo, do sistema corporativo da Cassi e documentos como supostas provas da irregularidade. Também mencionou testemunhas que presenciaram esses eventos.

Entre as ofensas apontadas ao MPT, a vítima foi chamada por um superior hierárquico de “preguiçosa” e foi ameaçada de levar uma “porrada”. O diálogo virtual, obtido pela coluna, aconteceu no sistema interno da Cassi.

Essa vítima relatou aos procuradores que comunicou a firma dos episódios de assédio moral, mas não teve qualquer retorno. A Ouvidoria recebeu o caso há mais de um ano e não colheu o depoimento de nenhuma testemunha, de acordo com o relato.

Procurada, a Cassi não comentou a investigação do MPT. A companhia afirmou que não tem nenhum processo pendente que envolva denúncia de assédio moral, e que todas as denúncias que recebe passam por “apuração rigorosa”. “A Cassi está comprometida em garantir um ambiente de trabalho ético e transparente. Prova disso é a premiação Lugares Incríveis para Trabalhar, concedida por quatro anos consecutivos à Cassi”, afirmou o comunicado. Procurado, o Banco do Brasil não comentou.

Fundada por funcionários do Banco do Brasil, a Cassi faz parte do conglomerado do banco como empresa patrocinada. Além de fazer aportes financeiros na mesma proporção que os beneficiários, o BB indica o presidente e parte dos diretores da firma sem fins lucrativos. A Cassi é a maior operadora de autogestão de plano de saúde do país, com mais de 700 mil participantes, incluindo funcionários e aposentados do BB, além de seus familiares.

Fonte: Metrópoles

Cassi inicia processo para Eleições 2024; chapas devem se inscrever até o dia 22

Publicado em: 10/01/2024

A CASSI terá eleições para diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes e para novos membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal. O período de inscrição das chapas inicia dia 3 de janeiro de 2024 e segue até as 18h do dia 22 de janeiro.

Buscando maneiras mais eficientes e sustentáveis de disponibilizar o conteúdo informativo, a CASSI divulgará o boletim em formato digital no hotsite das Eleições 2024 e o enviará por email. Os associados que preferirem receber o material impresso, pelos correios, devem fazer a opção pelo App ou site CASSI de 26 de dezembro de 2023 a 7 de janeiro de 2024.

No App CASSI ou site www.cassi.com.br, após o login, clique na funcionalidade “Opção de boletim”, altere a opção para “Formato impresso” e salve sua preferência.

Acesse todas as notícias, informações e documentos em https://hotsites.cassi.com.br/eleicoes2024/index.htm

CASSI convida novos funcionários BB a aderirem ao Plano de Associados

Publicado em: 07/12/2023

A CASSI apresentou o plano exclusivo dos funcionários do Banco do Brasil aos mais de 150 que tomaram posse na Diretoria de Tecnologia nesta terça-feira, 5/12, em eventos realizados em Brasília e São Paulo capital. Em Brasília, o diretor de Administração e Finanças, Hugo Brandão, falou das vantagens do CASSI Associados, que tem abrangência nacional e cobertura superior ao estabelecido pelo órgão regulador e aos planos de mercado em geral. Considerado um dos principais benefícios para o funcionalismo BB, a CASSI oferece, por exemplo, custeio de medicamentos de uso contínuo para esse público e inclusão de dependentes diretos.

O diretor destacou ainda a oferta de serviços próprios (CliniCASSI), como um dos diferenciais da CASSI, que estão sendo reformadas para dar maior conforto e acolhimento, e apresentou os outros três planos de saúde disponíveis para parentes: CASSI Família e CASSI Essencial, com abrangência nacional, e CASSI Vida, regional disponível em 11 capitais do País. A apresentação na Capital federal contou também com a participação do gerente de Gestão de Planos, Marcelo Fava. Em São Paulo, foi feita pelo gerente da Unidade CASSI no Estado, Marcelo Callai Costa Beber, e pela gerente de Marketing, Carol Lopes.

Nesta quarta-feira, profissionais da CASSI estarão novamente com os novos funcionários da tecnologia do BB, nas duas cidades, para tirar dúvidas e auxiliar no processo de adesão e inclusão de dependentes. Só neste ano, mais de 1,8 mil novos funcionários aderiram ao CASSI Associados imediatamente após as cerimônias de posse que iniciaram em setembro e seguiram nos meses de outubro e novembro, para cargos de tecnologia e de agentes comerciais do BB, permitindo ainda a entrada de 515 dependentes diretor – não estão somados os que solicitaram adesão nesta terça-feira.

Fonte: Cassi

ANABB em MG: defesa da Cassi e aproximação com funcionários da ativa

Publicado em: 23/11/2023

Belo Horizonte (MG) sediou nesta quarta (22 de novembro) mais uma edição da Conferência Cidadã da Cassi. Cerca de 100 pessoas, entre associados, funcionários da ativa e aposentados, colegas da Cassi e representantes de entidades estiveram no auditório da Gepes do Banco do Brasil, na Rua Rio de Janeiro.

A ANABB é uma das apoiadoras do evento e esteve representada pelo presidente Augusto Carvalho. Nossa governança em Minas Gerais também marcou presença entre eles: os conselheiros deliberativos da ANABB, Carlos Luiz Ribeiro e Francisco Alves e Silva (Xixico), os diretores regionais no estado, Eustáquio Guglielmelli (Taquinho), Matheus Fraiha e Rose Durães, e os colegas pós-98, Eduardo Pulier e Helberth Ávila, integrantes do GAT.

A ANABB está presente nas Conferências Cidadãs da CASSI movida pelo compromisso com a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho, com o acesso destas pessoas à assistência adequada em saúde e com o respeito às diferenças.

“Nossa entidade representa mais de 80 mil associados de todas as partes do Brasil, colegas da ativa, aposentados e pensionistas de culturas regionais diversas, credos diferentes e posições políticas distintas, que encontram na ANABB um espaço de diversidade e de colaboração”, destacou nosso presidente.

Esse é o espírito do funcionalismo do BB que a ANABB sempre enaltece: exercer a cidadania e praticar a solidariedade. A inclusão das pessoas com deficiência em todos os setores da sociedade é uma pauta de cidadania e deve constituir-se em objetivo permanente de todas as corporações, até que consigamos vencer o preconceito e valorizar todas as pessoas como seres únicos, capazes de colaborar e de contribuir com as instituições e suas missões.

Antes de participar da Conferência, os dirigentes da ANABB visitaram colegas da ativa do BB e foram recebidos pelo superintendente Gustavo Arruda.

Fomos muito bem recebidos e tivemos um agradável bate papo sobre a atuação da ANABB, nossas lutas em defesa de todos os funcionários do BB, da ativa e aposentados, reforçando que trabalhamos por todos.

Para a ANABB, é fundamental estar perto dos funcionários do BB, conhecer seus desejos e suas expectativas. Por isso, aproveitamos para fazer um agradecimento especial aos colegas da superintendência regional que nos deram a oportunidade de participar do bate-papo.

Fonte: Agência ANABB

BB e CASSI intensificam diálogo sobre perspectivas para a Caixa de Assistência

Publicado em: 06/11/2023

A situação atual e perspectivas de futuro para a Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil novamente foram pauta de reunião entre a atual Diretoria da operadora e o patrocinador. Em dois encontros recentes, realizados na primeira quinzena de outubro, o Conselho Diretor e o Conselho de Administração do Banco receberam o presidente da CASSI, Cláudio Said, e o diretor de Administração e Finanças, Hugo Brandão.

Os gestores da CASSI apresentaram os resultados do primeiro semestre de 2023 e outros indicadores de desempenho, além de iniciativas em andamento e outras possíveis, em parceria com o BB, com foco no equilíbrio econômico-financeiro e na melhoria dos serviços assistenciais. Esses pontos estão sendo avaliados pelo Banco e integram uma agenda positiva entre as duas instituições.

“Foi importante a discussão sobre possíveis ações conjuntas e parcerias, não só para a melhoria contínua do resultado econômico-financeiro, mas também para a ampliação da oferta dos planos CASSI destinados a familiares de funcionários, capazes de fortalecer tanto a Caixa de Assistência quanto o BB”, destacou o diretor Hugo Brandão.

O presidente da CASSI também está otimista com a interação com esses importantes colegiados de decisão do Banco, viabilizando um olhar conjunto para alternativas viáveis para o plano de saúde dos seus funcionários. “Manter uma agenda positiva com o BB mostra a importância que a Instituição dá para a Caixa de Assistência”, avalia Cláudio Said.

Fonte: Cassi

BB: funcionários cobram resolução sobre repasses à Cassi

Publicado em:

A Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB) cobrou resolução sobre o repasse de valores das “reclamatórias trabalhistas” (ações ganhas na Justiça por funcionários contra o BB) à Caixa de Assistência dos funcionários do BB (Cassi). A exigência aconteceu na última quinta-feira (26), em encontro de representantes da Cassi e do banco, por meio da Dipes (Diretoria de Gestão da Cultura e de Pessoas).

“O banco pagou essas reclamatórias aos funcionários, mas não fez o repasse correspondente à Cassi, como deveria ter feito”, explicou o representante da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas Gerais (Fetrafi/MG) na CEBB, Rogério Tavares, que participou do encontro.

Segundo dados da Cassi, existem cerca de 10 mil processos trabalhistas. Na reunião, a porta-voz da Dipes disse que a empresa está próxima de resolver a questão, apesar de não ter determinado uma data próxima e nem o montante calculado que será repassado para a Cassi.

“Então, não sabemos ainda o montante que será repassado para a Cassi pelo banco. Mas o que podemos destacar é que a caixa de assistência tem direito de receber e que os valores dessas reclamatórias trabalhistas têm reflexo nos salários anteriores recebidos pelo funcionário, uma vez que a contribuição da Cassi é de acordo com o salário dos funcionários”, explicou Rogério Tavares.
Cobranças à Cassi

O representante da Federação dos Bancários no Estado de São Paulo (Fetec-SP) na CEBB, Getúlio Maciel, que também acompanhou o encontro, destacou que, além do repasse das reclamatórias trabalhistas à Cassi, exigida há anos pelos funcionários, “a comissão também cobrou da caixa de assistência respostas sobre o fechamento de unidades da rede CliniCassi e que os funcionários possam contar com o atendimento de médicos da família, no âmbito da Estratégia Saúde da Família”.

Outra cobrança feita pelos funcionários foi a integração dos trabalhadores egressos de bancos incorporados, incluindo os aposentados e seus dependentes, ao Plano Associados da Cassi. “Se faz urgente o início das negociações no âmbito do grupo de trabalho (GT), que ainda não foi implementado e que trata dos bancos incorporados, notadamente a situação dos colegas egressos do Banco Nossa Caixa, cujas demandas já foram apresentadas também na esfera judicial. Esperamos que, com essa atual administração do BB, possamos resolver essa situação o mais breve possível”, pontuou Getúlio.

Diante da demanda apresentada pelos trabalhadores sobre os funcionários de bancos incorporados, o BB se comprometeu a avaliar a melhor data para a implementação do GT.

Fonte: Contraf-CUT

CliniCassi Araçatuba tem reunião no dia 10 com apoio da AGEBB

Publicado em: 27/10/2023

Participantes da CliniCassi (Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil) de Araçatuba, no interior de São Paulo, têm um encontro marcado no dia 10 de novembro com a diretoria local, funcionários, lideranças locais e o coordenador do Conselho de Usuários da Cassi no Estado de São Paulo, Thiago Elói Onofre. A reunião, que tem o apoio da AGEBB, ocorrerá a partir das 14 horas na sede da AABB de Araçatuba.

Essa será a primeira vez, desde a pandemia, que a reunião da CliniCassi será presencial. “Faz algum tempo que as reuniões têm sido virtuais por conta, em primeiro lugar do covid-19, e com as facilidades proporcionadas pela tecnologia. Mas é importante termos esse contato físico, nos confraternizar e conhecer os participantes”, pontua Thiago. A CliniCassi disponibiliza em suas unidades equipes multidisciplinares de saúde que atendem os associados e suas famílias com foco em ações de promoção, prevenção, proteção, diagnóstico, tratamento e reabilitação.

Nas reuniões, a Cassi costuma apresentar um tema de saúde (em Araçatuba será “Novembro Azul” – o tema busca sensibilizar e conscientizar a população masculina sobre os cuidados com a saúde e a importância da prevenção do câncer de próstata e de outras doenças) e abordar os trabalhos que ela vem promovendo no Estado e no país. Há ainda uma rodada de conversas com a negociadora local, onde são discutidos os credenciamentos e as dificuldades da região. “Faço o convite para que os associados da AGEBB da região, participantes da CliniCassi, também possam estar conosco nessa reunião”, argumenta Thiago Onofre.

Podem participar do encontro os participantes, beneficiários e pensionistas da Cassi. “Será a minha primeira oportunidade de conhecer o pessoal da região. É uma ótima ocasião para trocarmos ideias e estarmos mais próximos dos participantes”, revela Thiago.

Há no Estado de São Paulo 14 unidades da CliniCassi, quatro delas na capital. As demais estão, além de Araçatuba, em Santo André, Santos, São José dos Campos, Sorocaba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. “Nosso objetivo é promover reuniões presenciais também em outras localidades. Mas para isso precisamos encaixar as agendas e ver a disponibilidade das diretorias e funcionários regionais”, esclarece Thiago.

A AABB de Araçatuba fica na Via de Acesso João Cazerta, km 6, no bairro Chácaras Califórnia.

Fonte: AGEBB

Cassi busca melhorar a experiência do participante com o plano

Publicado em: 11/09/2023


A CASSI buscou solução de referência no mercado para melhorar o relacionamento com seus 600 mil participantes: a Salesforce, escolhida também pelo Banco do Brasil como plataforma de Customer Relationship Management (CRM), ou Gestão de Relacionamento com o Cliente. A ferramenta permite uma visão 360 graus do beneficiário no uso dos serviços próprios, na rede credenciada e nas solicitações e contatos com o plano. Com isso, possibilitará respostas mais rápidas, assertivas e adequadas às necessidades individuais, e a antecipação de soluções com foco no propósito de “cuidar da saúde dos participantes em todas as fases da vida”.

O projeto iniciou em 2022 e está em fase de implementação. Entre os dias 28 e 30 de agosto, gestores e demais profissionais das diferentes áreas de negócios conheceram todo o potencial do CRM e os ganhos que deve trazer para a Instituição. A implantação do CRM dá continuidade ao processo de inovação e uso de tecnologia para proporcionar as melhores experiências no atendimento aos seus participantes. A ferramenta gerará melhoria no atendimento, nos canais de relacionamento, na comunicação e gestão de dados.

A parceria firmada com as empresas Salesforce e Ília Digital, implementadora da solução na Instituição, possibilitará a integração dos sistemas da CASSI, para melhorias de atendimento, canais de comunicação e gestão de dados. A plataforma contempla a gestão da experiência do participante ao utilizar os serviços da CASSI, como no atendimento nas CliniCASSI, campanhas de educação em saúde, uso do plano e uso de inteligência artificial para agilizar o atendimento nos canais de comunicação da Caixa de Assistência.

O presidente da CASSI, Cláudio Said, acredita que a plataforma Salesforce contribuirá para que a CASSI atinja seu objetivo: “fazer com que os participantes vivam com saúde, o que vai muito além de custear tratamentos”, justamente por permitir a visão completa dos beneficiários ao mesmo tempo que o enxerga de forma individualizada. A CASSI está dando um passo importante na coordenação do cuidado em saúde dos participantes, completa o diretor de Risco Populacional, Saúde e Rede de Atendimento, Fernando Amaral, ao citar a implantação do Módulo Saúde do CRM. “A ferramenta contribuirá para o aprimoramento dos serviços de Atenção Primária à Saúde, permitindo as equipes de saúde melhorar sua atuação e relacionamento com cada um de nossos usuários.”

“A implementação do CRM reflete nosso desejo de proporcionar soluções eficazes e personalizadas aos beneficiários. É um momento ímpar em que temos acesso a uma ferramenta tão robusta”, destacou o diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com o Cliente, Carlos Flesch. Ele acredita que a plataforma permitirá “um salto de qualidade à CASSI”. Reembolso, cobrança bancário, entre outras questões financeiras também vão ganhar mais celeridade com a implantação do sistema. “A ferramenta nos permitirá mais agilidade e qualidade nas respostas aos questionamentos relacionados a temas extratos de utilização, pagamentos de mensalidades e coparticipações, facilitando e simplificando a vida dos nossos participantes no trato dos assuntos financeiros”, pontuou o diretor de Administração e Finanças da CASSI, Hugo Pena Brandão.

“O CRM tem o potencial de transformar a cultura de uma empresa, para que todos sigam a mesma diretriz, focada no sucesso. Nesses dias de workshop, pudemos aprofundar os conhecimentos sobre a ferramenta, com o objetivo de atender de forma única e ágil nossos participantes”, reforça a gerente executiva de Relacionamento com o Cliente, Sinara Barros.

Fonte: Cassi

TO, BA e AM recebem Conferência Cidadã da Cassi neste mês de setembro

Publicado em: 31/08/2023


Tocantins, Bahia e Amazonas serão os próximos estados que vão receber a Conferência Cidadã: uma Cassi mais inclusiva para pessoas com deficiência. Os encontros regionais fornecerão subsídios para a criação da Política de Relacionamento com a Pessoa com Deficiência da Caixa de Assistência.

A ANABB apoia o evento e valoriza a integração social das pessoas com deficiência, fomentando o debate para que o tema se torne uma pauta permanente nas organizações. Ao agir assim, fortalece o respeito à diversidade, a inclusão destas pessoas no trabalho, a garantia a uma vida digna e o acesso a um atendimento adequado em saúde.

VEJA AS DATAS DOS EVENTOS EM SETEMBRO E CLIQUE NO LINK PARA SE INSCREVER:

Tocantins – evento no dia 14/09
Inscrições abertas de 28 de agosto a 10 de setembro pelo link.

Bahia – evento no dia 20/09
Inscrições de 28 de agosto até 4 de setembro pelo link.

Amazonas – evento no dia 21/09
Inscrições de 28 de agosto a 11 de setembro pelo link.

SAIBA MAIS SOBRE A CONFERÊNCIA CIDADÃ

Os encontros tiveram início no dia 16 de agosto, com a realização da Conferência Cidadã do Distrito Federal na Sede I do Banco do Brasil, em Brasília. A ANABB esteve representada pelos vice-presidentes de Administração e Financeiro, William Bento, então presidente em exercício da Associação; de Comunicação, Nilton Brunelli; de Relações Funcionais, Lissane Holanda; de Relações Institucionais, Graça Machado, e pelo presidente do Conselho Deliberativo, Cláudio Zucco.

No dia 23/8, aconteceu no Pará e, no dia 25/8, ocorreu no estado de Goiás. Todos os estados da União receberão uma conferência regional nos próximos meses.

Fonte: Agência ANABB

 

Cassi: conferências pelo país debatem integração das pessoas com deficiência

Publicado em: 24/08/2023


A Cassi está realizando a Conferência Cidadã: uma Cassi mais inclusiva para pessoas com deficiência, série de encontros regionais que estão debatendo temas relacionados à inclusão de pessoas com deficiência. Os encontros fornecerão subsídios para a criação da Política de Relacionamento com a Pessoa com Deficiência da Caixa de Assistência e culminarão em uma conferência nacional, a ser realizada em 21 de setembro do próximo ano – Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência.

Os encontros tiveram início no dia 16 de agosto, com a realização da Conferência Cidadã do Distrito Federal na Sede I do Banco do Brasil, em Brasília. A ANABB esteve representada pelos vice-presidentes de Administração e Financeiro, William Bento, então presidente em exercício da Associação; de Comunicação, Nilton Brunelli; de Relações Funcionais, Lissane Holanda; de Relações Institucionais, Graça Machado, e pelo presidente do Conselho Deliberativo, Cláudio Zucco.

Todos os estados da União receberão uma conferência regional nos próximos meses. Nesta quarta-feira (23) será a vez do Pará. O encontro ocorrerá das 8h às 14h no auditório do Hotel Princesa Louçã, localizado na avenida Presidente Vargas, 882, Belém – o prazo para inscrições já se encerrou. Na sexta-feira (25), novamente das 8h às 14h, o evento ocorre no estado de Goiás. O local escolhido é o auditório Transamerica Collection Órion, na Avenida Portugal, 1148, andar -1, Setor Marista, Goiânia, e as inscrições poderão ser feitas até a quarta (23).

No mês de setembro, estão previstas conferências nos estados do Tocantins (14/9), da Bahia (20/9) e do Amazonas (27/9). Os locais e os respectivos períodos de inscrição serão divulgados assim que confirmados.

A ANABB valoriza a integração social das pessoas com deficiência, apoiando o debate para que o tema se torne uma pauta permanente nas organizações. Ao agir assim, fortalece o respeito à diversidade, a inclusão destas pessoas no trabalho, a garantia a uma vida digna e o acesso a um atendimento adequado em saúde.

Fonte: Agência ANABB

AFABB-DF se reúne com diretoria da Cassi para discutir assistência à saúde

Publicado em: 04/08/2023


A diretoria da AFABB-DF, na companhia da presidente da Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil (FAABB), Isa de Noronha, reuniu-se, na quarta-feira (26), com o presidente da Cassi, Cláudio Said e com os diretores Carlos Flesch (Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes) , Fernando Amaral (Risco Populacional, Saúde e Rede de Atendimento) e Hugo Brandão (Administração e Finanças). O objetivo foi debater ações de melhoria à assistência aos associados e à saúde financeira da Entidade.

O encontro tratou das seguintes demandas: (i) situação das negociações para pagamento das contribuições do Banco relativas às ações trabalhistas; (ii) medidas para ampliação da rede credenciada, especialmente nas regiões em princípio mais críticas; (iii) expansão do número de unidades CliniCASSI; (iv) ampliação e/ou incorporação de especialidades médicas nas unidades CliniCASSI e na Telemedicina; (v) resultado das ações de promoção da Atenção Primária à Saúde-APS; (vi) novos planos CASSI Vida, e (vII) prioridades estabelecidas para as unidades CliniCASSI nos locais onde foram encerradas atividades da Unidade Estadual.

Sobre o pagamento da parte patronal decorrente de ações trabalhistas, tema que interessa de perto aos participantes do Plano Associados, foi informado que há sinalização favorável. O acordo, no entanto, ainda depende de decisões em instâncias da governança da instituição.

A diretoria da Cassi mostrou-se sensível às dificuldades de credenciamentos médicos no interior do estado do Mato Grosso; em Barbacena e Três Corações, no estado de Minas Gerais; em Lajeado e na região de fronteira do Rio Grande do Sul; em Chapecó (SC); e nas regiões de Araçatuba, Presidente Prudente, Marília e litoral Norte e Sul do estado de São Paulo.

Nos estados onde foram encerradas atividades da Unidade Estadual, a diretoria da Cassi informou que foi mantido um executivo de negócios para dar suporte às unidades CliniCASSI e que o processo de fechamento das Unidades Estaduais passa por reavaliação.

Outro tema importante exposto pela presidente da FAABB foi a recente adoção das duas etapas de autenticação para acesso à área logada do website e do App Cassi. Isa de Noronha sustentou que a deliberação precisaria ser suspensa para permitir aos associados oportunidade de atualizar informações de e-mail e celular.

O adiamento proposto, esclareceu, preservaria principalmente aqueles com idade mais avançada e dificuldades devido à pouca afinidade com o universo digital, e que precisam da ajuda de parentes em procedimentos do tipo. A diretoria da Cassi se comprometeu a interromper a medida e conceder um tempo para que os participantes possam regularizar seus dados.

Na oportunidade, foi também disponibilizado ao presidente da Cassi documento assinado pela FAABB e pela AFABB-DF com sugestões para o aperfeiçoamento de ações relacionadas ao aplicativo (App) Cassi, a atenção à saúde, o processo de comunicação, a telemedicina e novos planos de saúde.

Na avaliação do presidente da AFABB-DF, Arnaldo Fernandes de Menezes, a reunião foi muito oportuna e produtiva. “Agradeço o presidente Cláudio Said e os demais gestores da Cassi pela receptividade e trato cordial no encaminhamento de todos os temas pautados”, declarou Menezes.

Pela AFABB-DF, além do presidente Menezes, participaram os diretores Eudócia Lopes (Social), José Mariano (Administrativo), Manoel Costa (Relações Institucionais), Mário Tavares (Assuntos Assistenciais e Previdenciários), Paulo Eduardo Lima (Financeiro), a conselheira deliberativa Maria Aparecida Costa e Osmar Fumagali, membro do Conselho de Usuários da Cassi.

Fonte: ASCOM AFABB-DF

 

ANABB recomenda aprovação do relatório 2022 da Cassi

Publicado em: 15/04/2023


A partir do dia 17 de abril, os associados poderão se manifestar votando no relatório anual da Cassi. A ANABB participou de algumas reuniões e acompanhou os resultados econômicos e financeiros apresentados pela entidade. Por isso, recomenda que os associados votem pela aprovação do relatório.

Nesta quinta (13 de abril), a Cassi realizou uma live pelo Youtube onde fez apresentação dos resultados para os sócios. A ANABB esteve presencialmente no auditório onde a live foi transmitida, sendo representada pelos vice-presidentes Nilton Brunelli e Graça Machado.

No dia 5/4, a ANABB também participou de uma reunião com a Diretoria da Cassi e com representantes de entidades do funcionalismo em que foram apresentados os dados econômicos e financeiros da entidade; o perfil dos associados assistidos; informações sobre a rede credenciada e e sobre os novos planos lançados, além dos destaques da gestão.

Todos os associados podem votar sobre a aprovação do documento de 17 a 28 de abril.

Participe! Clique aqui para ler a íntegra do relatório Cassi 2022

Fonte: Agência ANABB

Cassi lança condição especial de carência para novas adesões

Publicado em: 24/03/2023


Desde o dia 20 de março, beneficiários de outras operadoras podem contratar os planos CASSI com redução de boa parte das carências, a exceção de parto, desde que cumpridos alguns requisitos. A condição é por tempo determinado e vai até o dia 30 de abril. Para aproveitar, é preciso ter plano de saúde ativo há, pelo menos, seis meses.

Com a flexibilização, os novos participantes poderão contar com a cobertura do plano escolhido, cumprindo prazos de carência bem menores para determinados tipos de procedimentos e assistência em saúde.

Veja como fica o período de carência para consultas, exames, psicoterapia e internação. Estão mantidos os prazos contratuais para os demais procedimentos:

Para participar, é preciso ser parente de funcionário ou ex-funcionário do Banco do Brasil ou da CASSI até o 4º grau consanguíneo ou até o 2º grau por afinidade, ter plano de saúde regulamentado pela ANS dentro da mesma segmentação assistencial da CASSI* e ativo há, pelo menos, seis meses no plano de origem, além de estar em dia com as mensalidades.

O benefício será concedido somente para as adesões efetivadas até 30/04/23, que cumprirem os critérios de elegibilidade e apresentarem a cópia dos seguintes documentos:

  • últimas duas faturas pagas do plano de origem;
  • carta de permanência da operadora atual comprovando o tempo de contrato e as características do plano de origem;
  • autodeclaração de não estar internado(a);
  • assinatura do termo de adesão à regra de flexibilização de carências (encaminhado pela CASSI por e-mail durante o processo de contratação).

Carência zero

Para participantes do CASSI Família I, é possível passar para um plano de cobertura mais ampla dentro da própria operadora, sem precisar cumprir qualquer carência. A alteração é feita diretamente na Central de Atendimento 0800 729 0080, que funciona 24 horas, todos os dias da semana.

Fonte: Cassi

 

Piauiense Claudio Said assume a presidência da Cassi

Publicado em: 12/03/2023


Cláudio Said assumiu a presidência da Cassi. Piauiense de Teresina, ele é funcionário aposentado do BB e tem grande parte da carreira dedicada à Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil.

Said tomou posse no BB em 1983. Em 1996 assumiu como gerente da Cassi, atuando nos estados da Bahia e de São Paulo e no Distrito Federal – onde permaneceu até 2004. No BB, foi ainda gerente do CESEC-Petrolina (PE), da CRBB – Central de Relacionamento Banco do Brasil de São José dos Pinhais (PR) e da CRBB de São Paulo (SP), além de gerente de soluções nas Diretorias de Varejo e de Cartões.

De 2016 a 2020, voltou à Cassi como gerente executivo. Em seguida, concorreu nas eleições para o cargo de Diretor de Planos de Saúde e Relacionamento com Clientes. Durante o processo eleitoral, apresentou propostas que buscavam fortalecer o equilíbrio econômico-financeiro da Caixa de Assistência. De 2020 até o momento, Said estava na Cooperforte.

A busca pela sustentabilidade financeira da Cassi é, aliás, pauta constante na trajetória profissional do novo presidente da Caixa de Assistência. Por isso e pela sua experiência técnica, a ANABB acredita que Cláudio Said tem condições efetivas de implementar uma gestão capaz de apresentar soluções à Cassi, em um momento em que as discussões sobre sustentabilidade podem voltar a fazer parte da vida dos associados.

Fonte: ANABB

Em defesa da Cassi: veja como foi a articulação da ANABB na Câmara

Publicado em: 05/01/2023


Em dezembro, a ANABB manteve intensa articulação e forte atuação na Câmara dos Deputados em defesa da Cassi. Conseguimos o apoio de 257 deputados de 11 partidos na tentativa de que o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 313/2022 fosse incluído na pauta de votação.

Estivemos na Câmara dos Deputados até às 18h desta quinta (22/12) e, mesmo com reunião convocada pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados, o Plenário ficou vazio. A votação começou depois das 22h e nosso PDL não foi incluído na pauta de votação.

No entanto, a batalha não terminou. Assim que a nova legislatura se instalar, em 2023, a ANABB prosseguirá a luta em defesa da Cassi.

VEJA COMO FOI A SEMANA

Na quarta (21), o presidente da ANABB, Augusto Carvalho, conversou com o Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para tentar incluir o PDL 313 na pauta de votação.

A interlocução com as mais diversas lideranças possibilitou que conseguíssemos um Requerimento de Urgência ao projeto. Com isso, temos uma janela de oportunidade ainda maior para incluir o tema na pauta.

Nosso presidente dialogou com todas as lideranças partidárias para sensibilizá-los sobre os prejuízos da Resolução CGPAR 42, entre eles o deputado Márcio Macedo (PT/SE), futuro Ministro da Secretaria Geral da Presidência; o deputado André Fufuca (PP/MA), líder do partido; e o deputado Alex Manente (Cidadania/SP), líder do partido. Também tivemos o apoio da bancada do DF, representada pelo ex-deputado Geraldo Magela e o atual deputado federal Israel Batista (PSB/DF).

De autoria do deputado federal Pompeo de Mattos (PDT), o PDL 313/2022 suspende os efeitos da Resolução CGPAR 42/2022, que não inova, mas restabelece a Resolução CGPAR nº 23/2018 (já revogada pelo Congresso Nacional), que limitava a participação das estatais no custeio do benefício de assistência à saúde.

Em dezembro, a articulação realizada pela Associação na Câmara dos Deputados, já contou com o apoio dos deputados Reginaldo Lopes (PT-MG) e Celina Leão (PP-DF), futura vice-governadora do DF.

Fonte: Agência ANABB

 

BB: Movimento sindical conquista na Justiça Cassi para egressos do Besc de Florianópolis

Publicado em: 15/12/2022


Os trabalhadores do Banco do Brasil egressos do Banco do Estado de Santa Catarina (Besc), que atuam ou já atuaram nas agências de Florianópolis, conquistaram na Justiça o direito de ingresso à Caixa de Assistência dos Funcionários do BB (Cassi), nas mesmas condições dos bancários originários do Banco do Brasil. “A ação foi proposta pela Sintrafi Floripa (Sindicato dos Trabalhadores no Ramo Financeiro de Florianópolis e Região) com o apoio da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT)”, explica o Secretário de Assuntos Jurídicos da entidade catarinense, Luiz Toniolo.

Além de condenar o BB a garantir isonomia de acesso à Cassi para os empregados egressos do Besc, da ativa ou aposentados, que atuam ou atuaram na capital de Santa Catarina, a Justiça também concedeu o mesmo direito aos egressos do Besc que encerraram seus contratos em Florianópolis em decorrência de aposentadoria, com complementação paga pela Fusesc, independentemente de estarem vinculados ao SIM (plano de saúde dos funcionários egressos do Besc).

Prazo de adesão à Cassi

O Banco do Brasil tem o prazo de 90 dias, contados a partir do trânsito em julgado (decisão definitiva sobre a ação), para disponibilizar o acesso ao Plano da Cassi para os funcionários do Besc. “O trânsito em julgado ocorreu em 25 de novembro passado e os autos remetidos para o Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina no dia 1º de dezembro”, destacou Toniolo. Ele disse também que o mesmo período de 90 dias foi determinado para que os empregados egressos do Besc, que assim desejarem, se associem ao Plano de Saúde da Cassi. “Passado esse período, perderão o direito”, alertou.

Por conta do prazo, o movimento sindical orienta os trabalhadores que protocolem os requerimentos junto à agência de relacionamento ou local de trabalho e com o recebimento do primeiro Gestor da unidade. Outra possibilidade é enviar os requerimentos via Correios em remessa registrada e com aviso de recebimento para a Gepes jurisdicionante.

Mesa de negociação

O coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil (CEBB), João Fukunaga, destacou que o pedido dos trabalhadores besquianos por isonomia é uma reivindicação antiga, assim como dos egressos de outros bancos incorporados pelo BB, como Banco Nossa Caixa (BNC) e Banco do Estado do Piauí (BEP). “Continuamos levando esse debate para a mesa de negociação com o BB. E temos a expectativa de que, com a mudança de governo, vamos avançar nas pautas de interesses de todos os funcionários de bancos incorporados, tanto nos direitos de acesso à Cassi quanto à Previ”, pontuou.

Fonte: Contraf-CUT

 

Julgamento sobre Cassi e Previ para incorporados deve ser retomado no dia 14

Publicado em: 02/12/2022


O Tribunal Superior do Trabalho (TST) marcou para o dia 14 de dezembro o julgamento de mais um recurso do Banco do Brasil no processo sobre a extensão da Caixa de Assistência (Cassi) e da Caixa de Previdência dos Funcionários do BB (Previ) para os egressos dos bancos incorporados. Nessa sessão, serão julgados os embargos de declaração interpostos pelo banco.

A ação é de autoria do Ministério Público do Trabalho (MPT) e tem participação da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT) como amicus curie (amigo da corte, em latim), termo que designa um agente que auxilia com subsídios técnicos.

Em julgamento anterior, o TST deu provimento ao recurso do Ministério Público para determinar o retorno dos autos ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de origem (no caso o do Distrito Federal), uma vez que reconheceu a competência da Justiça do Trabalho para julgar o tema. O BB, então, apresentou embargos de declaração, pedindo que a decisão fosse modificada para que a ação fosse julgada na Justiça Cível/Comum. São esses embargos que serão analisados na sessão do próximo dia 14.

Cassi e Previ para todos

A extensão da Cassi e da Previ para todos os funcionários do Banco do Brasil, o que inclui os trabalhadores egressos de bancos incorporados, é uma reivindicação antiga do movimento sindical bancário, que debate o assunto nas mesas de negociação específicas com o banco em todas as campanhas nacionais da categoria. Mas a direção do banco público se recusa a atender.

“Essa é uma luta antiga nossa, que procuramos debater nas mesas da campanha e também em outras mesas com o banco, mas enfrenta a resistência da atual diretoria do BB. Nós do movimento sindical sempre procuramos priorizar os canais de negociação e diálogo, antes de judicializar qualquer tema. Mas diante da intransigência do banco, não nos resta alternativa senão apelar para a Justiça. Por isso estamos atentos acompanhando a ação”, destaca a dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região Adriana Ferreira, funcionária do BB.

Decisões anteriores

No final de outubro, o juiz Francisco Luciano de Azevedo Frota, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (DF), determinou que o Banco do Brasil oferecesse, em um prazo de 20 dias, o ingresso na Cassi, nas mesmas condições dos funcionários originários do BB, aos bancários oriundos do Banco Nossa Caixa. Na ocasião, houve pedido para que a sentença se estendesse aos oriundos do Banco do Estado do Piauí e Banco do Estado de Santa Catarina.

Mas o BB recorreu e, no início de novembro, a 3ª Vara do Trabalho de Brasília, atendendo a pedido do banco, suspendeu em caráter temporário a decisão. O argumento apresentado foi que ainda não havia transitado em julgado o recurso feito pelo banco; e a empresa também ingressou com os embargos de declaração que estão em análise no TST.

Fonte: Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região

 

Cassi informa déficit de 366 milhões no Plano de Associados

Publicado em: 27/11/2022


As entidades representativas dos funcionários que compõem a mesa de negociação foram convocadas na tarde desta segunda-feira (14/11) para reunião urgente com a Cassi, que comunicou déficit de R$ 366 milhões no Plano Associados e a intenção de implementação de plano de contingência, com ônus exclusivo para os associados, mediante aumento da coparticipação de 30% para 50% em consultas e 10% para 30% em serviços auxiliares. Fomos surpreendidos com a informação de proposta da diretoria da CASSI, de aumento de coparticipação, antes mesmo de qualquer conversa com as entidades e cuja votação realizada na manhã desta segunda-feira(14/11) restou empatada no Conselho Deliberativo daquela Caixa de Assistência.

Registramos nossa preocupação quanto ao risco de exclusão de colegas do plano, por falta de capacidade de pagamento, questão que já alardeávamos por ocasião da última reforma estatutária, votada pelos associados em 2019.

A propósito de nossa preocupação com a saúde da CASSI, em julho próximo passado a CONTEC encaminhou ofício à Caixa de Assistência, pedindo informações, dentre outras questões, sobre as tratativas com o patrocinador Banco do Brasil, referente aos trâmites do acerto sobre as verbas devidas à CASSI e ainda não pagas sobre os valores objeto de condenação do Banco em ações trabalhistas a que se reportou o relatório anual da Caixa de Assistência 2021 (pag. 57).

Destaque-se que todas as entidades foram unânimes em rechaçar a proposta de aumento das coparticipações, além de protestar pela falta de transparência da direção da CASSI.

As entidades ponderaram pelo retorno da taxa de administração e ressarcimento das despesas com covid, considerando que significativo montante das despesas deriva de tratamento por adoecimento decorrente do trabalho, bem como pelo pagamento pelo banco da parcela que cabe à CASSI, em razão das ações trabalhistas.

Ao final da reunião, os diretores eleitos garantiram que, tendo em vista o empate na votação da proposta de aumento da coparticipação, nenhuma medida da espécie será adotada antes de reunião com a mesa de negociações que busca a sustentabilidade da CASSI.

Fonte: Contec